Desejo de Fim de Ano

Conselho nº 35 que tentarei seguir em 2012: “Se fingires que os personagens não podem falar, e escreveres um filme mudo, estarás a escrever um grande drama. Se te libertares dos grilhões da exposição, do discurso, serás obrigado a trabalhar numa nova forma de comunicação – contar a história em imagens (também conhecida como ‘escrita de guião’).

Deus (perdão) David Mamet, Santa Monica, 19 de outubro de 2005 (para cumprir caso ainda haja cinema em Portugal em 2012)

Sobre Pedro Marta Santos

Queria mesmo era ser o Rui Costa. Ou sonâmbulo profissional. Se não escrever, desapareço – é o que me paga as contas desde 1991 (são 20 anos de carreira, o disco está a sair). Há momentos em que gosto mais de filmes do que de pessoas, o que seria trágico se não fosse cómico – mas passa-me depressa. Também gosto dos olhos da Anna Calvi. E das bifanas do Vítor. Aprecio um brinde: “À confusão dos nossos inimigos”. Não tenho nenhuns, só uma ternura infinita pelo azul das árvores e o amarelo do mar. E peço: digam-me mentiras.
Esta entrada foi publicada em Escrita automática. ligação permanente.

2 respostas a Desejo de Fim de Ano

  1. António Eça de Queiroz diz:

    Claro que vai haver, Pedro!
    Bom Ano Novo!

  2. Bernardo Vaz Pinto diz:

    Até parece ser fácil escrito dessa maneira…tão clara…mas não é para todos o escrever assim, nem para todos o contar a história em imagens. Vamos deixar que nos surpreendam em 2012.

Os comentários estão fechados.