A rebolta das renas já chegou ao Porto

 

Foi um ar que lhes deu. Foi ali a passar pelos Carvalhos. Veio uma rabanada (de vento, que seca) e ficaram assim. Os pais natais ainda protestaram, mas como a revolta não era deles, lá arrastaram o trenó a custo em direcção à Boavista.

Rena Claus is coming to Porto, by Teresa Conceição

 

As más línguas dizem que a mudança de cor foi voluntária e aconteceu por causa dos doces da mesa da consoada. A primeira rena revoltosa fez o Pai Nata perceber porque é que, em anos anteriores, as chaminés nortenhas encolhiam subitamente à sua passagem. Vai daí, o homem de vermelho não é de ferro. Fraco por rabanadas e farto de ficar entalado em chaminés, lá arranjou fatos mutantes para os sósias – para passarem à larga e se banquetearem que nem dragões.

No entanto, convites para Alvalade ou mesmo para a Amadora, com ou sem Estrela, têm de ser adiados. É que para o fardamento azul ainda havia um saco. Agora conseguir mais uma alteração ao Orçamento Rectificativo para aquisição de tecidos e despesas de tinturaria…foram passos perdidos.

As renas ainda tentaram alargar a digressão ao Marítimo. Mas os SSN (Serviços Secretos Natalícios) dizem que internacionalizações está fora de questão. Se quiserem voem, mas baixinho. É preciso contenção nas revoltas, que diacho.

Sobre Teresa Conceição

Ainda estou a aprender esta terra de hieróglifos. Tenho na mala livros e remoinhos, mapas e cavalos guerreiros, lupas e lápis de cor: lentos decifradores. Sou nativa de Vadiar, terra-a-terra. Escrever? Ainda não descobri onde fica. Mas parto com bússola e farnel (desconfio que levo excesso de bagagem).
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

4 respostas a A rebolta das renas já chegou ao Porto

  1. Rita V diz:

    ena pá!
    tanto dragão enluvado …
    😛

  2. António Eça de Queiroz diz:

    Bolas! Também ia dizer «voar baixinho»…
    Já sei!
    O Pai Natal não sabe nadar, yo! Abaixo a barragem do Coa!
    (viu Teresa, transformei isto num ‘happening’ geo-político…)

  3. manuel s. fonseca diz:

    Teresa, esta foi a pedido, hein. Deixaste-te embalar pela canção (de bandido!) do António. M as não sei se é Natal até achei bonito: lindo azul que os faz morrer de frio.

  4. Pedro Norton diz:

    Teresa: tenha lá cuidado porque eu já um dia matei o pai natal a um dos meus filhos e não queria matá-lo já ao segundo. Mas se o velho me aparece aqui com esses trajes, volta nu para o pólo norte!

Os comentários estão fechados.