Até Sempre

Chegou a tua vez de “correr pelo orvalho dentro“. Não é nada, vais ver. Uma imensa fogueira de vento e água salgada, um mar encrespado que se despede, um nevoeiro muito denso que te chora, uma ilha feita torresmo de tão negra a gemer baixinho no escuro. Deixa que a angústia te invada mas não te assustes nunca. Senta a alma ao leme, sobe ao cesto da gávea e espreita o breu. Vais ver um farol que pulsa. Que sangra todas as saudades do Mundo e que chama por ti com uma certeza muito sua.

Eles, sabe-lo bem, estão à tua espera no cais. Vais encontrá-los sentados. Com uma sede dos diabos que é a sede que todos os mortos têm de nós. Leva-lhes um copo de água gelada e um abraço dos rijos.

Até sempre.

Sobre Pedro Norton

Já vos confessei em tempos que tive a mais feliz de todas as infâncias. E se me disserem que isso não tem nada a ver com tristeza eu digo-vos que estão muito, mas muito, enganados. Sou forrado a nostalgia. Com umas camadas de mau feitio e uma queda para a neurose, concedo. Gosto de mortos, de saudades, de músicas que nunca foram gravadas, de livros desaparecidos e de filmes que poderiam ter sido. E de um bom silêncio de pai para filho. Não me chamem é simpático. Afino.
Esta entrada foi publicada em Escrita automática. ligação permanente.

7 respostas a Até Sempre

  1. António Eça de Queiroz diz:

    Bela despedida, Pedro!
    Bom Ano Novo!

  2. Teresa Conceição diz:

    Entrar na pele de quem vai deixar a vida e sabe. Exercício estranho e raro este.
    Não se liga muito à vida, achamos que vai ser para sempre. Os anos do calendário têm um período de tempo finito. Hora marcada para viver a “ilha feita torresmo de tão negra”.
    Como seria se todos nós soubessemos que só nos restava um dia? uma hora?
    Que texto bonito este, Pedro. Feliz Ano cheio de horas Novas.

  3. O Eco de Umberto diz:

    até já.

  4. Bernardo Vaz Pinto diz:

    A espera no cais assim vale a pena…belíssimo! E que venha o copo de água que fiquei cheio de sede da vida…

  5. Ana Rita Seabra diz:

    Que bonito texto!
    Um abraço bem
    apertado

  6. Paula Ferreira diz:

    Texto lindíssimo, mas triste.Anime-se Pedro Norton. 2012 não vai ser o que dizem, vai ser pior, e contamos com a sua inteligência para otornar mais agradável. Bom Ano!

  7. Rita V diz:

    uma voz chama baixinho
    atrás do nevoeiro
    – Pedroooooooo

Os comentários estão fechados.