Back to basics

Dizem-me que 2012 vai ser um ano dos diabos. Convenhamos que 1942 também não foi grande coisa e o mundo continuou a girar. Talvez por isso a lista de resoluções de Woody Guthrie, para um ano que era ainda  de guerra, fosse tão singela. Mesmo para quem não gosta de relativismos, por vezes é bom colocar as dificuldades em perspectiva.

Para o ano é que é. Por Woody Guthrie

Sobre Pedro Norton

Já vos confessei em tempos que tive a mais feliz de todas as infâncias. E se me disserem que isso não tem nada a ver com tristeza eu digo-vos que estão muito, mas muito, enganados. Sou forrado a nostalgia. Com umas camadas de mau feitio e uma queda para a neurose, concedo. Gosto de mortos, de saudades, de músicas que nunca foram gravadas, de livros desaparecidos e de filmes que poderiam ter sido. E de um bom silêncio de pai para filho. Não me chamem é simpático. Afino.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

7 respostas a Back to basics

  1. Ana Rita Seabra diz:

    Pedro, que maravilhosa lista esta do Woody!
    Vou levá-la debaixo do braço…
    Não sei se é da idade, mas aprendi a relativizar o máximo possível.
    Grave é viver na doença e não poder dar de comer aos filhos…
    Para o ano é que é.
    Desejo-te um belíssimo ano e boas escritas
    bjs

  2. Rita Vasconcellos diz:

    adorei a lista
    achei que o mais difícil é o número 23
    😛

  3. ~CC~ diz:

    Estas listas de ano são o máximo, quem é que já não fez uma? O 31 é que não me parece saudável 🙂
    Bom ano!
    ~CC~

  4. O Eco de Umberto diz:

    Back to basics, portanto. Está bem lembrado. O ponto 5 exige coragem, mas faz-se.

  5. manuel s. fonseca diz:

    33 medidas! tomara a Troika. Ler a lot of good books e stay de cara alegre são as minhas favoritas para 2012.

  6. teresa conceição diz:

    Bela lista. Já nos fazia falta uma.
    Eu gosto do dream good 🙂

  7. Luciana diz:

    Inspirador. Vou agarrar-me ao 26, que há de se manter o rebolado nas piores situações….

Os comentários estão fechados.