Barbatanas voadoras

 

Se tivessemos asas como os peixes…

 

Peixe-pássaro (avistado em Monsaraz por Teresa Conceição)

…em que céu-oceano estaríamos a voar?

 

Sobre Teresa Conceição

Ainda estou a aprender esta terra de hieróglifos. Tenho na mala livros e remoinhos, mapas e cavalos guerreiros, lupas e lápis de cor: lentos decifradores. Sou nativa de Vadiar, terra-a-terra. Escrever? Ainda não descobri onde fica. Mas parto com bússola e farnel (desconfio que levo excesso de bagagem).
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

6 respostas a Barbatanas voadoras

  1. Rita V diz:

    talvez entre nuvens-húmidas de musgo?
    😀

  2. Teresa Conceição diz:

    Mas então já somos peixes-patos!
    (Essa resposta de menina má, Eugénia, dá uma aguarela tão caótica que tem de ser um acrílico, por causa das sobreposições: algo assim como um peixe-pato-caos = peipataos. Quem me dera ter tempo para ir já fazer um.)

  3. Manuel S. Fonseca diz:

    Só sei que eramos o Dumbo…

    • Teresa Conceição diz:

      Estou feita. Esta aguarela cada vez se estica mais. Então agora um pateixalifante?

  4. António Eça de Queiroz diz:

    Estou convencido que ao princípio iam haver muitas pernas partidas e narizes esmurrados…
    O catavento é bestial, Monsaraz é bestial!

Os comentários estão fechados.