Candeia que alumia …

by riVta

Sobre Rita Roquette de Vasconcellos

Apertava com molas da roupa, papel grosso ao quadro da bicicleta encarnada. Ouvia-se troc-troc-troc e imaginava-me a guiar uma mobylette a pedais enquanto as molas a passar nos aros não saltassem. Era feliz a subir às árvores, a brincar aos índios e cowboys e a ler os 5 e os 7 da Enid Blyton. Cresci a preferir desenhar a construir palavras porque... escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

9 respostas a Candeia que alumia …

  1. António Eça de Queiroz diz:

    E logo no meio do mar, onde andamos todos perdidos…
    Nem pensar!

  2. manuel s. fonseca diz:

    Rita, mas alguém, algum dia, conseguiria apagar “A Luz”?

  3. Felippa Lobato diz:

    A Luz em ti nunca se apaga, ela se auto-regenera cada vez que te inspiras.

  4. O Eco de Umberto diz:

    mehr licht!

  5. Rita V diz:

    immer!

  6. Pedro Norton diz:

    Rita, acho que o Manuel, ali em cima, se referia a “A LUZ”. A chama imensa. A das papoilas saltitantes. A tal que nunca se apaga.
    Belo boneco. Gosto muito de faróis e tenho a sorte de avistar dois da minha janela.

Os comentários estão fechados.