Hugo Scorsese

 acaba de condecorar  com a .

Mas o que eu queria era ver já hoje o “Hugo”. Se não fosse estar dar um mau exemplo à menina fazia birra. O que vale é que me deixaram trazer para aqui o trailer. Vou ficar a vê-lo até Fevereiro.

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

10 respostas a Hugo Scorsese

  1. Carla L. diz:

    Estou curiosa para ver Scorcese em algo que aparentemente tem a cara do Spielberg com notas do Dickens. Mas acredito que venham surpresas por aí e alguma poesia. O inusitado deve ficar por parte da produção compartilhada também com Johnny Depp.Tô achando tudo uma mistura muito interessante.E os primeiros acordes orquestrados pelo canadense ( leia-se Senhor dos Anéis e uma dezena de filmes famosos) Howard Shore já encantaram meus ouvidos.

    • Manuel S. Fonseca diz:

      Ó sempre e muito estimada Carla, ainda não tinha tido a oportunidade de a saudar condignamente. Partilho consigo a perplexidade: ver um Scorsese infantil soa a uma impossibilidade nos termos. Mas já sei que Scorsese convoca o fantasma ( e não só) de Méliès, o que, porventura, explica tudo. Eu vi, nos meus tempos de Cinemateca, uma carrada de Méliès e sempre fui um apóstolo de que aquilo ERA e É o cinema. Os Lumière, os comboios a chegar à gare, a saída das fábrica, who cares, é a pretensão do real e coisa e tal. Se alguma coisa em que ainda acredito é na imaginação. Um beijinho saudoso para si.

      • Carla L. diz:

        Manuel Queridíssimo Fonseca, muito obrigada pela gentil acolhida, as always.É uma pena que de Méliès eu só conheça sua “viagem” à Lua.Pelo menos, que me lembre, é só disto que tenho consciência, embora eu já deva ter esbarrado nele algumas vezes, sem saber de quem se tratava.Vou procurar conhecê-lo melhor! Conto muito com a imaginação uma vez que as palavras não cabem em mim e muitas vezes tenho dificuldade para ordená-las de forma lógica e concreta.Esperemos, então, Scorcese e o pequeno Hugo.

  2. Carla L. diz:

    Em tempo: guardo aqui o beijinho e envio-lhe um grande e afetuoso abraço do além mar.

  3. Luciana diz:

    E eu ia comentar o post, a birra, o filme, Scorcese…mas fiquei foi com ciúme (ou inveja?) dos afagos mútuos.

    • manuel s. fonseca diz:

      Ó Luciana, não seja por isso, já somos todos “velhos” conhecidos, de milhares de posts, dessa imparável gentileza com que a Carla e a Luciana sempre brindaram os “repetentes” deste “Escrever”. Que seja uma bela aventura!!! Uma viagem à Lua nas asas de Scorsese.

  4. Ana Vidal diz:

    Fiquei muito, muito curiosa com esta mistura improvável. Um cheirinho de Dickens e um polícia que me lembra o do saudoso Allô Allô, num filme de Scorcese temperado por Tim Burton? Caramba, quero ver isso!
    Obrigada pela dica, Manuel.

  5. Teresa Conceição diz:

    Manel,
    podíamos fazer uma manif a pedir este filme já.
    Além de lindo, parece tão tão de Natal.

Os comentários estão fechados.