Mr. Carousel

Estranho desejo este com que hoje acordei. Andar de carrossel. Andar à roda num carrossel embalado por música de feira. Tão estranho o desejo quanto estranho era a personagem que me esperava logo à saída de casa. Mr. Carousel, foi assim que apresentou o seu ofício. A sua missão era, nem mais, levar-me a satisfazer o meu bizarro capricho. Também me disse que queria ter nascido música. E que, se tivesse nascido música, queria ter sido feita pelos Sigur Rós ou pelos Radiohead. Mas nascera David. David Santos. Não nascera música mas aspirava a morrer música. Noiserv, era o nome que queria ter quando se materializasse em música.

E lá fui eu com o Mr. Carousel. Foi uma estranha viagem, por montes e vales. Só vos digo que não sei se cheguei ao carrossel. Ainda antes de chegar ao destino, deixei de o ver, ao Mr. Carousel. Não me lembro de nada a não ser da música. A música encantada em que o David se transformou. Noiserv, era o que ele era agora. E eu sem me lembrar de nada a não ser da música, tão encantado estava.

Sobre Diogo Leote

Longe vão os tempos em que me divertia a virar costas a senhoras que não gostavam de Woody Allen. Mas os preconceitos de então ficaram-me. O de preferir as vozes sofridas e os gritos de raiva, ou os sons negros e abafados, ao fogo-de-artifício dos refrões fáceis. O de só admitir happy ends em situações excepcionais, quase sempre em histórias de amor em que ninguém apostaria um cêntimo. O de não procurar encontrar explicação para os desígnios insondáveis da sedução ou para tudo o que não é dito, que é quase tudo, na grande arte. E continuo com esta mania de andar atrás da tristeza. Dizem os psicólogos que isso é um privilégio dos que não a têm no seu código genético. Eu não os desminto. A verdade é que, se não embirrasse tanto com a palavra “feliz”, até a usaria para exprimir o prazer que sinto ao escrever sobre almas abandonadas ou corações destroçados. Ainda bem que escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

8 respostas a Mr. Carousel

  1. Carla L. diz:

    Que delícia de passeio, principalmente para uma pessoa que não gosta de carrosséis.Sempre os vinculo com crianças desaparecidas ou pessoas que irão morrer, culpa de Hollywood.

    • Diogo Leote diz:

      Ainda bem que gostou do passeio, Carla. Estou certo que vai divulgá-lo como ninguém aí no Brasil.

  2. António Eça de Queiroz diz:

    David Santos, então?
    Gostei bem, sim senhor

    • Diogo Leote diz:

      António, o rapaz é português de gema, nasceu David Santos mas apresenta-se sob o nome artístico de “Noiserv” (parece que agora se diz “projecto musical”). A música que ouviste, “Mr. Carousel”, vem incluída no EP “A day in the day of the days”, editado em finais de 2010. O rapaz participou na banda sonora de “José & Pilar” e, em paralelo com o projecto “Noiserv”, integra os “You Can´t Win Charlie Brown”, que lançaram muito recentemente o disco de estreia, excelente também por sinal.

  3. O Eco de Umberto diz:

    and the merry go ‘round

  4. Teresa Conceição diz:

    Diogo,
    gosto tanto deste seu texto.
    Já gostava da música e do vídeo sem lhe conhecer a história.
    Depois desta viagem que nos trouxe, vou dar mais do que mais uma volta.

Os comentários estão fechados.