“Proque…”

A Bengalinha de Natal by riVta

não sei se é coisa de amaricano mas estas bengalinhas às riscas sempre me atraíram
por várias razões:
proque são encarnadas
proque são às riscas
proque é a imagem que tenho do Natal desde miúda
e principalmente
proque são de açúcar!

Posto isto, temos uns vizinhos NATOamericans que todos os anos por esta altura, nos deixam um presente pendurado na porta com goodies e uma pequena nota de Boas Festas (sinto-me sempre atrapalhada por não espalhar também goodies pela vizinhança … mas adiante) este ano era fudge e uma bengalinha embrulhada em celofane, colada à tampa do presente.

Lambuzei-me com o fudge e guardei para o fim a dita bengalinha. Era grande, não a consegui comer toda de uma assentada, deixei-a abobrar entre a placa de som externa e o meu amado Tízio … ATÉ HOJE!

O raio da bengalinha, com o calor do meu amado, colou-se de forma indiscreta às folhas deste meu lugar transformando as brancas folhas numa calamidade peganhenta.

Bengalinhas, never ever !

(sorry pals … ou os amaricanos que me perdoem)

Sobre Rita Roquette de Vasconcellos

Apertava com molas da roupa, papel grosso ao quadro da bicicleta encarnada. Ouvia-se troc-troc-troc e imaginava-me a guiar uma mobylette a pedais enquanto as molas a passar nos aros não saltassem. Era feliz a subir às árvores, a brincar aos índios e cowboys e a ler os 5 e os 7 da Enid Blyton. Cresci a preferir desenhar a construir palavras porque... escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

9 respostas a “Proque…”

  1. O Eco de Umberto diz:

    Um Natal quente de derreter – que sorte!

  2. Teresa Veloso diz:

    Até hoje adorava essas bengalinhas, mas nunca as consegui deixar tanto tempo ao ponto de se tornarem pegajosas! Será que esse never never é mesmo pra sempre? Happy New Year Rita

  3. Manuel S. Fonseca diz:

    As riscas são uma (boa) obsessão americana. Há montes de lojas onde as têm cá fora. Estou enganado ou é nas barber shops…

  4. Rita V diz:

    voilá

  5. António Eça de Queiroz diz:

    Rita, e qual é o ponto da situação? Já conseguiu descolar a placa de som do pobre Tízio?….

Os comentários estão fechados.