Tristeza e Cortesia

Façam-me mimos

A tristeza é indissociável de uma certa cortesia. Foi o que me disseram, primeiro as 3 meninas, depois e circunspectos os 9 rapazes que me escrevem. O que posso fazer que não seja corar um bocadinho e, com uma vénia bem desenhada, agradecer já ao Pedro Rolo Duarte ter-me escolhido para blogue da semana no sítio dele.
Também o João Gonçalves, sem suspender o seu idiossincrático pessimismo, me fez um miminho no portugal dos pequeninos.
Já me tinham dito ao ouvido, e por isso não me surpreendeu a irradiante simpatia da Ana Vidal no tão bom delito de opiniao.
Outras meninas simpáticas e gentis foram a Sofia Loureiro dos Santos no defender o quadrado e a Ivone Costa em a ronda dos dias.
Julgam que me esqueci, não esqueci: o Henrique Raposo já me deu honras   de ligação no clube das republicas mortas. Façam-me mimos, obrigada.

Sobre Escrever é Triste

O nome, tiraram-mo de Drummond. Acompanho com um improvável bando de Tristes. Conheço-os bem e a eles me confio. Se me disserem, “feche os olhos”, fecharei os olhos. Se me disserem, “despe-te”, dispo-me.

Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

Uma resposta a Tristeza e Cortesia

  1. Maria João Cabrita diz:

    Tudo gente com bom gosto :))

Os comentários estão fechados.