Weak end

Walter-Ego, Mrs. Soul & Dr. Mainde

Sobre Rita Roquette de Vasconcellos

Apertava com molas da roupa, papel grosso ao quadro da bicicleta encarnada. Ouvia-se troc-troc-troc e imaginava-me a guiar uma mobylette a pedais enquanto as molas a passar nos aros não saltassem. Era feliz a subir às árvores, a brincar aos índios e cowboys e a ler os 5 e os 7 da Enid Blyton. Cresci a preferir desenhar a construir palavras porque... escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

7 respostas a Weak end

  1. Pedro Norton diz:

    ó para ele a ouvir a Cesária.

  2. Manuel S. Fonseca diz:

    tão bem que se está no mar

  3. António Eça de Queiroz diz:

    Ah!, então é assim!…
    What a leak.

  4. Rita V diz:

    Pedro, Manuel, Eugenia e Antonio
    Que alegria ser triste perto do mar, a ouvir as ondas verdes do mar convosco.

  5. O Eco de Umberto diz:

    viva o bucolismo internético!

  6. Viva!
    (… mas com pilhas)
    😀

Os comentários estão fechados.