Apesar de embirrar com graffiti

A pedido da nossa tutelar Escrever: um graffito que sim senhor, coiso e tal.

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

4 respostas a Apesar de embirrar com graffiti

  1. Escrever é Triste diz:

    Não estava ali em baixo a perguntar os comos depois de ler o tio Soros? Bem vê que Sócrates, aquele sobre quem Platão escreveu – só por via das dúvidas… -, tinha razão: está aqui a resposta, fazer upa menino a quem sabe estar onde deve estar que é onde sabe. Quem merece beijinhos pela maiêutica? Eu.

  2. somos dois a embirrar
    mas é difiícil não apreciar quando se trata da expressão individual dum ‘próprio’ ( com graça ) no muro de outro (sem graça)

  3. António Eça de Queiroz diz:

    Excelente…

Os comentários estão fechados.