ó triste e abençoada nudez

uma visita ao museu

Não sei o que andam a fazer os meus sobrinhos Tristes que não me convidaram para este acontecimento.
As três meninas da foto são modelos profissionais. E, como julgo que elas fazem aliás todos os dias, entraram pela manhã no Museu d’Orsay. Não sei se entraram na victoriana exposição a que os curadores chamaram “Beauté, morale et volupté” ou se, cortando graciosamente à esquerda, foram tristes deliciar-se com o “Akseli Gallen-Kallela, une passion finlandaise”.
Caminhando, as três graças, com o entusiasmo da discussão estética (ó, os frescos do Gallen-Kallela) livraram-se das blusas. E foi, segundo as minhas fontes, junto à Santa Cecília, de Waterhouse, que tiraram as saias.
Nem imaginavam sequer que estavam a ser filmadas e fotografadas. Os mangas de alpaca do museu tiraram os lindos cus (ups!) das cadeiras e desataram em ultrajados gritos. Acorreram vigorosos seguranças e as meninas disseram – cada vez gosto mais delas ! – que estavam ali e assim a comemorar o « enterro de vida » (fabulástica expressão francesa de abandono do celibato) de uma jovem amiga.
E andam os meus meninos Tristes a escrever-me o Museu das Curtas.  A visita destas é que me deviam levar. Museu das Curtas! Quero é despir-me Triste no triste Musée d’ Orsay !

Sobre Escrever é Triste

O nome, tiraram-mo de Drummond. Acompanho com um improvável bando de Tristes. Conheço-os bem e a eles me confio. Se me disserem, “feche os olhos”, fecharei os olhos. Se me disserem, “despe-te”, dispo-me.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

14 respostas a ó triste e abençoada nudez

  1. Rita Vasconcellos diz:
    • Escrever é Triste diz:

      Querida Rita, não está a pensar convidar a vetusta senhora para se vir despir connosco, pois não?

  2. Manuel S. Fonseca diz:

    Pensa um sobrinho que conhece uma tia!

    • Escrever é Triste diz:

      Já me tinham dito que o menino era o mais “dah”! da companhia. É que não acerta uma.

  3. ~CC~ diz:

    Protesto pela ausência de moços com o mesmo gosto pela cultura:)
    ~CC~

    • Escrever é Triste diz:

      Que se há-de fazer, querida ~C~, hoje em dia só querem desporto e estar fechados no balneário. Não lêem um livro, não vão arejar a pevide a uma vernissage…

  4. Diogo Leote diz:

    Uns grandes bananas é o que nós somos. Andamos a prometer à menina Escrever que a despimos, que a beijamos, e que lhe fazemos isto e aquilo e… nada. Isto de não f… e não sair de cima dá cabo de qualquer senhora. E agora? É preciso que ela se dispa toda à nossa frente? Quem avança primeiro para lhe fazer a vontade?

  5. Escrever é Triste diz:

    Parece-lhe bem, querido sobrinho, andar a misturar frutos tropicais com 4 letter words? São maneiras? E sabe que mais, não só o menino não avança como quando vir o que tenho para lhe mostrar, vai ver que recua.

    • Diogo Leote diz:

      ó Tia, vou sou ali falar com o tio Varguitas, ele é que é o grande especialista em seduzir tias. Entretanto, já cá venho com umas meninas bem despidas (e bem mais novas do que a tia Escrever) para lhe fazer inveja…

      • Escrever é Triste diz:

        Dieguito, como me disse um velho cow-boy num dia em que tive dúvidas: there’ll be the day.

  6. António Eça de Queiroz diz:

    Quer se queira quer não isto é uma performance marcadamente artística (ou não repararam que as queridas gracinhas vestiam as três cores matriciais?…)
    Elas é que são arte, e mainada!…

  7. Escrever é Triste diz:

    O menino é que o decano dos meus sobrinhos, não é? Vê-se logo pela serenidade com que olha para as cores matriciais. É esteta, o meu sobrinho, não é?

  8. Escrever é Triste diz:

    A minha sobrinha princesinha quer vestir-me à menino. É desculpa sua para pôr gravata?

Os comentários estão fechados.