Voar

 

Ao poente todas as asas são pardas. O vento é senhor de todas elas.

Uma máquina dispara.

As asas do mar desertam perante a captura iminente: uma foto pode ser uma gaiola.

Competição de asas, avistada na Lagoa de Albufeira por tc

Dedos finos entre caracóis escuros, uma mulher olha o cenário e escreve.

Estás aqui mesmo que não estejas. És a minha asa.

 

Sobre Teresa Conceição

Ainda estou a aprender esta terra de hieróglifos. Tenho na mala livros e remoinhos, mapas e cavalos guerreiros, lupas e lápis de cor: lentos decifradores. Sou nativa de Vadiar, terra-a-terra. Escrever? Ainda não descobri onde fica. Mas parto com bússola e farnel (desconfio que levo excesso de bagagem).
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

9 respostas a Voar

  1. António Eça de Queiroz diz:

    Lindo!!!

  2. Rita V diz:

    Lindo, Lindo!!!

  3. Luciana diz:

    Lindo, Lindo, Lindo!!!

    PS. Que achado: “uma foto pode ser uma gaiola”. Vai fazer cócegas no meu pensar por toda a noite….

  4. Teresa Conceição diz:

    Meus queridos,
    daqui a pouco estou com ciúmes da linda linda foto! Que bom terem gostado.

    Luciana: uma borboleta é que entende bem de voar. E de cócegas!

  5. Ruy Vasconcelos diz:

    em três letras e um ponto:

    uau!

    (´▽`)/

  6. manuel s. fonseca diz:

    Golpe de asa, Teresa, golpe de asa…

  7. Diogo Leote diz:

    Mas que maravilhosa imagem, Teresa. É um sinal de que o homem, quando quer, ainda consegue estar em perfeita comunhão com a natureza.

  8. Ana Rita Seabra diz:

    Muito muito bonito!
    Estamos todos a voar

  9. Fausto L. C diz:

    Cara Teresa,

    Parabéns pela imagem e pelo texto. Não sei quais as asas prefiro, as gaivotas, o kite ou as suas.

Os comentários estão fechados.