A good question!

RIP Marie Colvin

She said:
“We always have to ask ourselves whether the level of risk is worth the story”
“What is bravery, and what is bravado?”

Sobre Rita Roquette de Vasconcellos

Apertava com molas da roupa, papel grosso ao quadro da bicicleta encarnada. Ouvia-se troc-troc-troc e imaginava-me a guiar uma mobylette a pedais enquanto as molas a passar nos aros não saltassem. Era feliz a subir às árvores, a brincar aos índios e cowboys e a ler os 5 e os 7 da Enid Blyton. Cresci a preferir desenhar a construir palavras porque... escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

6 respostas a A good question!

  1. António Eça de Queiroz diz:

    Eu andei na guerra e fui jornalista – nunca as duas coisas em simultâneo.
    Claro que sabia os riscos que corria, e se os corria era porque, em última análise, se sentia atraída pelo fenómeno.
    RIP

  2. António Eça de Queiroz diz:

    O desenho é óptimo!

  3. T. diz:

    Gostei muito. Dizia ontem o El Pais que a Maria Colvin e o marido, um jornalista espanhol, eram os melhores jornalistas do mundo, os mais valentes, os mais atrevidos e os mais bêbados. Nunca estive no terreno de uma guerra mas imagino que ficasse totalmente bêbeda.

Os comentários estão fechados.