Adormecer como uma paisagem

 

Recolher, avistado por tc na Nazaré

Há dias em que podemos fechar os olhos como tinta cor-de-rosa.

Ou como um barco a regressar a casa.

 

Sobre Teresa Conceição

Ainda estou a aprender esta terra de hieróglifos. Tenho na mala livros e remoinhos, mapas e cavalos guerreiros, lupas e lápis de cor: lentos decifradores. Sou nativa de Vadiar, terra-a-terra. Escrever? Ainda não descobri onde fica. Mas parto com bússola e farnel (desconfio que levo excesso de bagagem).
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

6 respostas a Adormecer como uma paisagem

  1. manuel s. fonseca diz:

    Voltar a casa: seja lá o que isso for. Poder sempre voltar a casa

  2. Estou desde ontem a tentar imitar o barulho de um barco a deslizar na água mas não sou capaz.
    Chlep Chlep, parece-me barulho de gaivota ( embarcação) pedalada e splash splash o bater dos remos na água.
    Desisto

    Mas atracar ao fim da tarde é das experiências mais ‘místicas’ que se pode ter.

    😀

  3. Ana Rita Seabra diz:

    Que lindo esse regresso…

  4. Carla L. diz:

    Eu queria perder a hora, esquecer do tempo, com uma paisagem dessas.

  5. Pedro Norton diz:

    apetece dizer: recolher obrigatório

  6. Bernardo Vaz Pinto diz:

    Adormeci a olhar, só depois percebi que já estava em casa….ao a caminho ao leve suave das ondas que batem no casco…

Os comentários estão fechados.