Arte da perseguição

Antes que o rasto desapareça, tc

– Pára. Encontrei. É por aqui.

– Como sabes?

– Sei: as ervas movem-se como o vestido dela quando anda.

 

Sobre Teresa Conceição

Ainda estou a aprender esta terra de hieróglifos. Tenho na mala livros e remoinhos, mapas e cavalos guerreiros, lupas e lápis de cor: lentos decifradores. Sou nativa de Vadiar, terra-a-terra. Escrever? Ainda não descobri onde fica. Mas parto com bússola e farnel (desconfio que levo excesso de bagagem).
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

4 respostas a Arte da perseguição

  1. Bernardo Vaz Pinto diz:

    Ahhhh… Sinto o cheiro do mar mesmo ali, fresco como o vento…não sei se me importo que o rasto desapareça…

    • teresa conceição diz:

      Bem, se é assim, Bernardo, pode ficar por aqui a cheirar a música e a ouvir o mar. Eu vou atrás dela. Não pode andar longe.

  2. que post tão engraçado
    o seu olhar sobre as coisas é sempre uma surpresa
    (boa)

    • teresa conceição diz:

      Que engraçado dizer isso, Rita. Eu acho o mesmo em relação ao seu olhar sobre as coisas 🙂

Os comentários estão fechados.