Cidade da Tolerância

De ponto.

"Isto vai práqui um Carnaval", "-Isto vai um Deus nos acuda, digo-te eu, venha o Diabo", escutado por tc em Lisboa

 

Sobre Teresa Conceição

Ainda estou a aprender esta terra de hieróglifos. Tenho na mala livros e remoinhos, mapas e cavalos guerreiros, lupas e lápis de cor: lentos decifradores.
Sou nativa de Vadiar, terra-a-terra. Escrever? Ainda não descobri onde fica. Mas parto com bússola e farnel (desconfio que levo excesso de bagagem).

Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

4 respostas a Cidade da Tolerância

  1. às vezes a Tolerância Zero é perigosa
    🙂

  2. Teresa Conceição diz:

    Concordo plenamente, Rita.
    É por isso que na parede se escreve em várias línguas, em caso de aflição de tradução 🙂

  3. Manuel S. Fonseca diz:

    Lisboa talvez não seja a mais tolerante das cidades… mas há pior que eu sei.

  4. Bernardo Vaz Pinto diz:

    Tolerância não se escreve, vive-se. Mas pode-se sempre chamar a atenção…

Os comentários estão fechados.