Obrigada, Ana

 

Não nos esque­ce­re­mos desta ima­gem: o melhor retrato da Escre­ver quando jovem Triste. Nunca esti­ve­mos, aliás, tão bem Tris­tes como quando pren­de­mos na ore­lha o lápis que a Ana Vidi­gal nos ofe­re­ceu. Vamos guardá-lo sem­pre.  Obri­gada, Ana.

Já lá está, na cabeça deste Triste blo­gue, o meu emblema de mim. Mas o mês de Março trará, prometo-vos, outras sur­pre­sas. E mais não digo.

Sobre Escrever é Triste

O nome, tiraram-mo de Drummond. Acompanho com um improvável bando de Tristes. Conheço-os bem e a eles me confio. Se me disserem, “feche os olhos”, fecharei os olhos. Se me disserem, “despe-te”, dispo-me.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

3 Respostas a Obrigada, Ana

  1. Teresa Conceição diz:

    Oh. Vou ficar com sau­da­des do lindo lápis. Era um ves­tido que nos ficava tão bem.
    Obri­gada, Ana!

  2. Cola­bo­rar nesta Tris­teza foi uma ver­da­deira Ale­gria
    bei­jos para todos

SEJA TRISTE, COMENTE