Tristes: Fevereiro escreve-se com C de Columbano

Columbano Bordalo Pinheiro

Convite à Valsa 

Columbano Bordalo Pinheiro n. Lisboa, 1857 – m. Lisboa, 1929

O  ‘Convite à Valsa’  Óleo sobre cartão, 1880 de Columbano Bordalo Pinheiro encontra-se em Lisboa na Casa-Museu Dr. Anastácio Gonçalves e recomendo uma visita ao Museu José Malhoa nas Caldas da Rainha para o redescobrir e rever José Malhoa, Leopoldo de Almeida e Rafael Bordalo Pinheiro, irmão de Columbano.

P.s: a menina EéT pediu-me que lembrasse os tristes  autores que a partir de hoje aguarda os vossos contos, inspirados pelo ‘retrato’ acima.

Sobre Rita Roquette de Vasconcellos

Apertava com molas da roupa, papel grosso ao quadro da bicicleta encarnada. Ouvia-se troc-troc-troc e imaginava-me a guiar uma mobylette a pedais enquanto as molas a passar nos aros não saltassem. Era feliz a subir às árvores, a brincar aos índios e cowboys e a ler os 5 e os 7 da Enid Blyton. Cresci a preferir desenhar a construir palavras porque... escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Museu das Curtas. ligação permanente.

5 respostas a Tristes: Fevereiro escreve-se com C de Columbano

  1. Eu já tive uma saia de seda cor de peito de pombo inspirada neste quadro. Ah, pois é! Era a saia do Columbano.

  2. teresa conceição diz:

    Rita, adoro Columbano!
    Que bem escolhido.

  3. Rita V diz:

    Às duas:
    Saudades … e mais não digo.

  4. Luciana diz:

    Pois será um-dois, um-dois, rodopio, lindo de se ler…tenho certeza!

Os comentários estão fechados.