Cabra-cega

beebzeebee by riVta

Sobre Rita Roquette de Vasconcellos

Apertava com molas da roupa, papel grosso ao quadro da bicicleta encarnada. Ouvia-se troc-troc-troc e imaginava-me a guiar uma mobylette a pedais enquanto as molas a passar nos aros não saltassem. Era feliz a subir às árvores, a brincar aos índios e cowboys e a ler os 5 e os 7 da Enid Blyton. Cresci a preferir desenhar a construir palavras porque... escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

9 respostas a Cabra-cega

  1. manuel s. fonseca diz:

    Brincar, brincava, e as alergias?

  2. Rita V diz:

    zyrtec
    lol

  3. Teresa Conceição diz:

    Eu também quero!

  4. Bernardo Vaz Pinto diz:

    Só se não me tapar os olhos que fico nervoso…que tal a apanhada? Chamamos os tristes?

  5. Teresa Conceição diz:

    Ou deverei ter cuidado? Em vez do efeito borboleta ainda me sai o efeito abelha?

  6. uhm! mas que rica ideia
    celebrar a Primavera, o dia da árvore e o dia da Poesia com um Cocktail
    Formidável
    «Shaken not Stirred»
    😀

Os comentários estão fechados.