Este Nariz Não é Meu … (nem o título!)

Carlos Relvas, Auto-retrato c 1870

“Este Nariz não é meu”  descreve o retrato fotográfico no século XIX, no âmbito da 2ª parte da exposição comemorativa dos 150 anos do nascimento de Columbano Bordalo Pinheiro no Museu Nacional de Arte Contemporânea -Museu do Chiado, em 2011.

Deu  título a uma conferência de Emília Tavares, ensaio recentemente online.

‘Se a Columbano coube a tarefa de produzir a galeria de retratos dos notáveis da sua geração, assumindo o papel de «pintor psicológico», nas palavras de Raul Brandão, admirado como o pintor das almas mais do que das formas, é na época em que o seu talento se afirma como tal que o retrato fotográfico também se define no tecido social como elemento de identidade e reconhecimento da mentalidade burguesa.
‘ in
 ‘O RETRATO: entre poses e posses, entre a fotografia e a pintura’

Não resisti a fazer download, a  ler e a roubar um nariz que não é meu.

Sobre Rita Roquette de Vasconcellos

Apertava com molas da roupa, papel grosso ao quadro da bicicleta encarnada. Ouvia-se troc-troc-troc e imaginava-me a guiar uma mobylette a pedais enquanto as molas a passar nos aros não saltassem. Era feliz a subir às árvores, a brincar aos índios e cowboys e a ler os 5 e os 7 da Enid Blyton. Cresci a preferir desenhar a construir palavras porque... escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

12 respostas a Este Nariz Não é Meu … (nem o título!)

  1. caruma diz:

    Ó Rita, meu também não é. Se calhar é do Relvas (neto?) que é tão de poses como, de certeza, vai ser de posses, olha o passarão.

    • Rita V diz:

      Bem divertida a fotografia não é?
      Achei irresistível e o texto da Emília Tavares é muito bom

  2. Olhe, Rita do Walter, a casa do Carlos Relvas aqui bem perto de mim está uma beleza de se admirar. Quando quiser venha daí que eu faço de cicerone.

  3. manuel s. fonseca diz:

    Nem me atrevo a escrever um comentário: seria meter o nariz onde não sou chamado.

  4. Ó Tia deles, o Manuel Fonseca está aqui a fazer uma cena. E eu ia lá saber que se interessava pela arquitectura do ferro e por estúdios todos em vidro por todos os lados, que aquilo quando tiram as persianas fica uma coisa que só visto, ia?

  5. António Eça de Queiroz diz:

    A foto é de rir!…

Os comentários estão fechados.