Sonho de uma tarde de inverno

Quase namoro, suspeitado por tc em Melides

Era uma vez um banco de jardim que queria navegar.

Ou quem queria sentar-se nele era o mar?

Sobre Teresa Conceição

Ainda estou a aprender esta terra de hieróglifos. Tenho na mala livros e remoinhos, mapas e cavalos guerreiros, lupas e lápis de cor: lentos decifradores. Sou nativa de Vadiar, terra-a-terra. Escrever? Ainda não descobri onde fica. Mas parto com bússola e farnel (desconfio que levo excesso de bagagem).
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

3 respostas a Sonho de uma tarde de inverno

  1. cheira-me mais a maresia
    cansada da troca dos dias

  2. Bernardo Vaz Pinto diz:

    É um banco, no mar. A namorar.

  3. pedro marta santos diz:

    Que banco encantador, Teresa.

Os comentários estão fechados.