Um mistério Triste

Sabe aquelas mensagens em letras de papel recortadas, em frases cifradas por descobrir? Pois bem. Não sou de intrigas e sei guardar segredos tal como a polícia, os tribunais e que tais. Porém, a minha Eugénia, ó dela, recebeu uma: digital. Perigo. E hoje, zás! recebeu-a em papel concreto como do jornal. Mas em lindo postal cortado e pintado. O que diz? Preciso de um detective encartado.

ESC – será escape?

RÉS – má rés, boa, não sei, mas tratarem uma pessoa como gadeza, parece-me ameaçador.

REVER – o quê, onde? Sei que sou praticamente um CSI, uma CIA, direi mesmo um FBI, ainda que só veja o Homeland por security, todavia, faltam-me pistas.

SER – sim, somos, mas o quê, a tal da res? Pronto! percebi tudo, tudinho:  res extensa. Pelos deuses, um bandido filósofo que fala em latim – estamos perdidos.

TRI – tri, 3, mas 3 quê? Isto é simbologia da boa: já não bastava que o bandido fosse filósofo em latim de Astérix, ainda por cima é maçon – percebo, os tempos estão difíceis e todos temos de fazer pela vida, mas isto já me está a parecer um exagero.

TE – a nossa menina má?! Ó diablo, the plot thickens …

E mais não digo. 

Sobre Escrever é Triste

O nome, tiraram-mo de Drummond. Acompanho com um improvável bando de Tristes. Conheço-os bem e a eles me confio. Se me disserem, “feche os olhos”, fecharei os olhos. Se me disserem, “despe-te”, dispo-me.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

6 respostas a Um mistério Triste

  1. conte … conte …
    assim não vale!!!!!!!!!

  2. Escrever é Triste diz:

    Muito bem contada até, beijinhos em mim.

  3. Teresa Veloso diz:

    the plot thickens … rastilho para pesquisa mais aprofundada, com meios cientificos tipo CSI!seguramente o tal bandido filósofo é o suspeito principal, mas ainda não se sabe porque usa avental…

Os comentários estão fechados.