As curvas, o decote

 

As curvas, o decote, os ombros, a forma como bate com a língua no céu da boca (se não acreditem reparem bem nos grandes planos) fizeram a instantânea felicidade do espectador de 12 anos que eu fui de La Violetera. Sei que vi o filme num sábado à noite, no cinema da 7ª Esquadra (havia esquadras de polícia com cinema integrado, plateia e balcão, em Luanda). Vi a Sarita e só que queria que ela me atirasse violetas. Ou o céu da boca.

 

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

7 respostas a As curvas, o decote

  1. pedro marta santos diz:

    Era boa rapariga, esta Sara. E a Lucia Bosé? De ostia…

    • manuel s. fonseca diz:

      Conheci uma Bosé que era neta. Uma miúda linda e esfusiante. Tinha uma elegantíssima orelha cravada de brincos, vá lá piercings, antes de se usarem.

  2. Bernardo Vaz Pinto diz:

    Já não se marcam bilhetes para a primeira fila, à espera das violetas que podem cair ….

Os comentários estão fechados.