GirafAlices

 

Isto não é uma loura menina de cabeleira sonolenta.

Isto não é uma branca menina nua em frente a um  roupeiro cheio e sem nada para vestir.

Isto não é uma Madrasta Má com dúvidas.

Isto não é uma floresta de pescoços.

Isto não é uma girafa a olhar para um espelho. 

Antenas alerta, avistadas por tc num jardim de Fernanda Fragateiro

Isto é uma história sem novelos sem gatos pretos nem brancos nem passagens a derreter.

Isto é, o Espelho é só uma porta de entrada. Ou de saída.

Mas onde diacho estão as chaves?

 

Sobre Teresa Conceição

Ainda estou a aprender esta terra de hieróglifos. Tenho na mala livros e remoinhos, mapas e cavalos guerreiros, lupas e lápis de cor: lentos decifradores. Sou nativa de Vadiar, terra-a-terra. Escrever? Ainda não descobri onde fica. Mas parto com bússola e farnel (desconfio que levo excesso de bagagem).
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

6 respostas a GirafAlices

  1. manuel s. fonseca diz:

    Jardim intrigante: tens a certeza de que se pode entrar pelo espelho?

  2. Teresa Conceição diz:

    Claro que tenho, Manel, ou não estaria aqui metida. Só que a porta fechou-se.
    A chave, no livro, é acordar. Mas para isso tenho que adormecer primeiro…e ainda não tenho sono. Que seca. E agora?

    • Teresa Conceição diz:

      Who cares about keys, anyway? Pode ser um vinho do Porto?
      E copos para distribuir?

  3. Teresa Conceição diz:

    Ena! Que fixe! Se a Eugénia também entrou, já não quero sair. Isto vai ser uma desbunda, do lado de cá 🙂

  4. Bernardo Vaz Pinto diz:

    Isto não é um “post” da TC , mas sim a história de uma Alice que olha o espelho e entende que existe um mundo maravilhoso por detrás dos reflexos , das superfícies, das imagens…não são precisas chaves basta querer ou gritar ” abre-te sésamo !”.

Os comentários estão fechados.