O meu epitáfio

AFINAL
CONSIGO CONTER
A RESPIRAÇÃO
MAIS TEMPO
DO QUE JULGAVA
P. B.

 

 

Sobre Pedro Bidarra

As pessoas vêm sempre de algum sítio. Eu vim dos Olivais-Sul, uma experiência arquitecto-sociológica que visava misturar todas as classes sociais para a elevação das mais baixas e que acabou por nos nivelar a todos pelo mais divertido. Venho também da Faculdade de Psicologia da clássica, Universidade Clássica de Lisboa onde li e estudei Psicologia Social e todas as suas mui práticas teorias. Venho do Instituto Gregoriano de Lisboa onde estudei os segredos da mais matemática, e por isso a mais emocional e intangível de todas as artes, a música. E venho sobretudo de casa: de casa das duas pessoas mais decentes que até hoje encontrei; e de casa dos amigos que me ajudaram a ser quem sou. Estes foram os sítios de onde parti. Como diz o poeta (eu): “Para onde vou não sei/ Mas vim aqui parar/ A este triste lugar.”
Esta entrada foi publicada em Ficção. ligação permanente.

12 respostas a O meu epitáfio

    • Pedro Bidarra diz:

      Lol era o que eu queria no dia do enterro. Tudo à volta da campa a rir. Assim a última piada era minha 🙂

  1. António Eça de Queiroz diz:

    Excelente!

    • Pedro Bidarra diz:

      … e depois, do quarto dia até à eternidade, muda-se para:

      AFINAL CONSIGO CONTER
      A RESPIRAÇÃO MAIS TEMPO
      QUE JESUS CRISTO
      P.B.

  2. manuel s. fonseca diz:

    Belo epitáfio. É de mergulhador!

  3. Pedro Bidarra diz:

    Obrigado companheiro.
    Mas, pelo sim pelo não, deixo aqui o conselho aos outros tristes:
    o melhor é escrever o epitáfio, sobre fundo amarelo, no formato ficção.
    Não vá o diabo tecê-las.
    (Toc, toc, toc)

  4. Bernardo Vaz Pinto diz:

    Não diga mais nada para não gastar o fôlego pode vir a fazer falta…tudo em fundo amarelo claro…

  5. Ana Rita Seabra diz:

    Bem escolhido o amarelo – é o sol sempre a brilhar

  6. Marta Elias diz:

    O meu diria assim:

    PSSSSSt. PSSSSSt. Chega aqui….
    Mais perto. Mais…

    Queres trocar comigo?”

Os comentários estão fechados.