São sete e eu branca. De neve.

São sete e eu branca. De neve. O meu recato não serve à Rainha cruel. Ela louca de ciúmes e eu com gostos tão particulares. Quis matar-me por julgar-me concorrente, a mim que só gosto deles assim. Muitos e pequeninos. Quando voltam da mina andam-me pela casa num alvo esplendor. São sete, sete diamantes sem arestas, cheiinhos, redondinhos. Nem as asas lhes escondem a carnal displicência: são sete e eu branca. De neve.

Sentam-se-me ao colo, trepam-me pelas costas, ajoelham-se-me aos pés, deslizam-me pelos ombros. Têm um calor feiticeiro que me põe a boca vermelha, cor de sangue, e os seios em palpitações arcádicas. Gosto que me subam e que me desçam. Soneca, Dengoso, Dunga, Feliz, Atchim, Mestre e Zangado: são eles que me protegem. Quando batem à porta as velhinhas de pentes venenosos e maçãs fatais, esvoaçam os sete pela casa e, remédio santo, exibem às intrusas os sete elásticos arquétipos. Elas, ó desgraçadas!, fogem a sete pés e eu fico com eles, sete, ainda mais branca. De neve.

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Museu das Curtas. ligação permanente.

9 respostas a São sete e eu branca. De neve.

  1. Luciana diz:

    Seria triste se não fosse lindo. Ou justo o contrário, é por ser um que é outro. Falta avisar que também são sete os pecados. Talvez isso lhe vire o melancólico olhar.

  2. Manuel S. Fonseca diz:

    Ah, a Branca de Neve sempre foi triste. Branca, meio-apagada e triste.
    Ó, e se cada um dos setes diamantes tiver os sete pecados, são muitos pecados.

  3. Bau Pires diz:

    Mais dos que os sete pecados, não serão sete os prazeres? Esta Branca está mais para Rouge, com ou sem moinho.

  4. Ó senhor de Fonseca, essa das “palpitações arcádicas” é de génio. Não lembraria nem a Ovídio.

  5. manuel s. fonseca diz:

    Veio-me à ideia por ter a Branca as mãos no doce peito. Já vê que a motivação é prosaica…

  6. teresa conceição diz:

    Eu sabia que os contos de fadas estavam mal contados.
    Se não fosse o Manel vir aqui repor a branca verdade dos factos…

    • manuel s. fonseca diz:

      Eu? Quem escolheu a imagem e lançou o desafio? A menina Teresa, está claro!

Os comentários estão fechados.