Uma amena tarde em Brooklyn

Muitas e boas tardes passei em Brooklyn, quase sempre sob um calor tórrido mas sempre sempre na fresca companhia de caros amigos e amigas. Creio, no entanto, que nunca lá passei nenhuma em que o ar fosse tão morno e suave quanto nesta.

Sobre Vasco Grilo

Quando era rapazola dei demasiadas cabeçadas com a minha pobre caixa de osso. Hoje, como deliciosa consequência, encontro a minha razão intermitente como uma rede WI-FI, sem fios nem contrato fixo. Por vezes suspeito que a minha alma seja a de um velho tirano sexista e sanguinário, prisioneiro no corpo perfumado e bem-falante de um jovem republicano. Mas talvez eu seja só é um bocado sonso. A cidade para onde me mudei no final do século passado chama-se Aerotrópolis. Daqui partem todas as estradas e para aqui todas elas confluem. Em seu redor e para minha sorte, está um mundo que é grande e ainda muito comestível. Creio que a verdadeira felicidade possa causar uma certa tristeza. E por isso e só por isso, aqui, escreverei.

Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

4 respostas a Uma amena tarde em Brooklyn

  1. teresa conceição diz:

    Que bonita esta tarde, Vasco.
    E lindo vídeo, fresco e íntimo: parece que estamos com eles em reunião de amigos.

  2. Bernardo vaz Pinto diz:

    Bela tarde e memória de “backyards” quentes, mas rodeados de frescura verde…

  3. Vasco Grilo diz:

    É uma muy doce luz de sombra e de fim de tarde que só existe nos borroughs Nova Iorquinos e em mais lado nenhum….

  4. manuel s. fonseca diz:

    Traseiras e vizinhos. A vida para lá da porta.

Os comentários estão fechados.