Not Afraid

não tenho medo by riVta

 

 

Sobre Rita Roquette de Vasconcellos

Apertava com molas da roupa, papel grosso ao quadro da bicicleta encarnada. Ouvia-se troc-troc-troc e imaginava-me a guiar uma mobylette a pedais enquanto as molas a passar nos aros não saltassem. Era feliz a subir às árvores, a brincar aos índios e cowboys e a ler os 5 e os 7 da Enid Blyton. Cresci a preferir desenhar a construir palavras porque... escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

10 respostas a Not Afraid

  1. Teresa conceicao diz:

    Rita, com um desenho assim, eu também não!
    Muito bom.

  2. Sabes como gosto dos teus desenhos! Sabes! Não estou de acordo contigo quando afirmas -. escrever é triste –
    Não. Não acho que seja triste. Nisto, não estamos de acordo.

    Mil beijos

    CC

    • Rita V diz:

      com os teus mil beijos vou escrever ao carlos drummond de andrade. mil traços tristes. talvez como se escreve ao pai natal … depois digo-te!
      😉

  3. manuel s. fonseca diz:

    Assim, também não tenho medo.

  4. Bernardo Vaz Pinto diz:

    Há sempre um medo, mesmo que seja o de vir a tê-lo, mas estamos protegidos por estes desenhos, que são paredes protectoras contra esse medo….

  5. Ana Rita Seabra diz:

    Como sempre uma bela ilustração para deixarmos de ter medo…
    Mil beijocas

Os comentários estão fechados.