O amor mudou

Da aurora ao crepúsculo, a firme solidão

– Sofre-se?
– Ai sofre-se, claro.
– Hoje como ontem?
– Tenho dúvidas. O amor mudou.
– Mudou nada. O amor bate no chão e estilhaça-se como um cristal.
– Ah, não. Estás enganada. O amor, agora, está sempre a ser colado. Cada sms, o facebook, o e-mail, o skype, desangustiam a ausência. Já não há pothos.
– Ó querida, pothos?
Pothos, sim, o irreprimível desejo do amado ausente. O vazio que escrevia no peito, a letras de fogo, sonho contigo

Sobre Escrever é Triste

O nome, tiraram-mo de Drummond. Acompanho com um improvável bando de Tristes. Conheço-os bem e a eles me confio. Se me disserem, “feche os olhos”, fecharei os olhos. Se me disserem, “despe-te”, dispo-me.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

18 respostas a O amor mudou

  1. Maracujá diz:

    E por falar em sonhar contigo…

    http://youtu.be/MKfDwChOoHI

  2. «O amor, agora, está sem­pre a ser colado …»
    -Oh!

  3. Manuel diz:

    Amor…..essencia do ser humano, jamais existirá dor tão viciante!!

  4. Escrever é Triste diz:

    Manuel, não deixe, ainda assim, de comer e beber: para uma mulher ,a ideia de ter um homem tísico e pálido ao lado, a não ser em filmes de Tim Burton, tem muito pouca graça.

    • Manuel diz:

      Sem qualquer duvida, mas sejamos realistas, estas dores fazem parte do nosso fado…

      • Escrever é Triste diz:

        A cantar o fado já me convece, Manuel. A despropósito, é parente do meu sobrinho Manelinho? A esse é que eu não peço que cante o fado que é uma cana rachada.

        • Manuel diz:

          Não creio ter qualquer parentesco com o seu sobrinho, mas digo-lhe desde já que com a minha voz não tentaria, pelo menos em plena consciencia dos meus actos, tentar cantar algo tão exigente…

  5. Pedro Bidarra diz:

    O amor mudou. Muda sempre.
    Ganha novos hábitos e manhas
    com o tempo e a gente.
    O que não muda, ou muda muito mais devagar
    é a biologia, minha cara tia.

    • Escrever é Triste diz:

      Ó meu caro sobrinho, a mudança é camoniana, a biologia é uma linda desculpa sua, ai, ai.

  6. Bernardo Vaz Pinto diz:

    Pode mudar e mudar mas terá de haver sempre alguém a apanhar os cacos, essa é que é….

    • Escrever é Triste diz:

      Vê, meu menino Bernardo, porque é que uma mulher gosta de uma certa, digamos, wealthy in life? é só para poder comprar uma boa cola.

  7. JS diz:

    Queria tia, nã, nada, nadica. Pode assumir novos contornos mas não mudou rigorosamente nada. Mesmo com toda esta parafernália de recursos o pothos continua e continuará. Nada substitui o sorriso de um toque …

  8. Escrever é Triste diz:

    Ainda bem, JS, que alguém acredita no sorriso e na ponta dos dedos da nossa mão…

  9. JS diz:

    Peço desculpa mas o “d” voou, queria escrever “querida” tia 🙂

    Acredito e morrerei a acreditar que não há palavras, poesia sejam em que suporte for que possam substituir o silêncio de um colo …

  10. Escrever é Triste diz:

    É uma crença que partilho consigo, mas à frente dos meus sobrinhos não dou colo a ninguém, já para não mencionar o facto de que ultimamente mesmo a dar colo não sou capaz de me calar. É que estou feita uma gralha…

Os comentários estão fechados.