Dizer nada … é tão bom!

Dizer nada by riVta

Sobre Rita Roquette de Vasconcellos

Apertava com molas da roupa, papel grosso ao quadro da bicicleta encarnada. Ouvia-se troc-troc-troc e imaginava-me a guiar uma mobylette a pedais enquanto as molas a passar nos aros não saltassem. Era feliz a subir às árvores, a brincar aos índios e cowboys e a ler os 5 e os 7 da Enid Blyton. Cresci a preferir desenhar a construir palavras porque... escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

20 respostas a Dizer nada … é tão bom!

  1. Manuel S. Fonseca diz:

    Que forma tão veemente de não ter que dizer nada. Boa!

  2. caruma diz:

    sim, que segurança não ter que dizer nada.

  3. João Pessoa diz:

    Sobretudo, porque já se sabe tudo. Tudo, talvez não, mas o suficiente, para ter a segurança de “não dizer nada”.
    Desafortunadamente, eu preciso tanto de falar, porque sinto que não sei nada. Isto é, “quase nada”.
    Por muito que não concordem comigo, eu gosto de escrever, porque “estar calado” é Triste!

    • Rita V diz:

      Falar às vezes e não dizer nada também é uma prática corrente e o ‘saber’ é tão relativo … há quem diga que só não sabemos o que não queremos.
      😀
      Obrigada pelo seu comentário.

  4. Benvinda Neves diz:

    Às vezes um dizer nada é um dizer tudo. Quando como resposta tivemos um “dizer nada” ficámos com a certeza de um “dizer tudo”.

  5. Bernardo Vaz Pinto diz:

    nada a acrescentar…(silêncio)….

  6. pedro marta santos diz:

    E, numa frase, aqui fica o segredo das grandes relações.

  7. Rita V diz:

    … e encontrar alguém que nos diz realmente alguma coisa?

  8. ~CC~ diz:

    Está criada a cumplicidade…é tão bom!
    ~CC~

  9. Havia quem só dissesse “conduz!”

  10. Ana Rita Seabra diz:

    Na maior parte das vezes o silêncio diz tudo
    E ainda bem que é assim

Os comentários estão fechados.