Férias

Nokia Mobile Photos by riVta

Ir de férias é óptimo, mas chegar ainda é melhor.

Sobre Rita Roquette de Vasconcellos

Apertava com molas da roupa, papel grosso ao quadro da bicicleta encarnada. Ouvia-se troc-troc-troc e imaginava-me a guiar uma mobylette a pedais enquanto as molas a passar nos aros não saltassem. Era feliz a subir às árvores, a brincar aos índios e cowboys e a ler os 5 e os 7 da Enid Blyton. Cresci a preferir desenhar a construir palavras porque... escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

13 respostas a Férias

  1. Benvinda Neves diz:

    É verdade, o “chegar” tem a magia de nos fazer ver com os olhos da “saudade” o bem que nos sabe “voltar ao nosso aconchego”.
    O “ir”dá-nos o prazer de sonhar com aventura e desconhecido, o “voltar” o conforto de saber o que nos espera, o reencontro. Gosto muito dos dois.

  2. Teresa Font diz:

    Sinto o cheiro das férias…que paz olhar para esta fotografia, Rita.
    Gosto do branco e do azul. E do Alqueva, de Monsaraz e de Mourão.
    E de chegar e de ir embora. Se pudesse não fazia outra vida. 🙂
    (o contrário de me deitar e de me levantar, não gosto de nenhuam das coisas-geralmente )
    Quer dizer que gosto de tudo neste post.
    tks e beijo.

  3. cristina gonçalves diz:

    gosto deste teu ” vai-e-vem” especialmente se estiver entre abraços de chegadas e partidas
    (o meu computador só tem aspas…)

  4. Maracujá diz:

    Podia passar a vida inteirinha de malas feitas e desfeitas!
    Poderiam até chamar-me, cara Rita, de eterno passageiro! E como esta semana estou sintonizada na “rádiotelefonia bloguetária” de um seu parente ali em baixo, aqui vai mais…

    http://youtu.be/f5HHRVED56s

  5. Bernardo Vaz Pinto diz:

    gosto de ir e gosto de chegar…cheira a férias a fotografia…

Os comentários estão fechados.