Há homens a soprar no fumo da noite

balouçam brincos

Devem ser as tantas da manhã. Esta mulher de cabelo apanhado, rosto limpo, sopra palavras com uma vibração suave, dolente, alguns riscos de rouquidão. E há homens escondidos na noite: sopram à volta dela, perto e longe dela. Balouçam, ligeiros, os brincos nos lóbulos da mulher que sopra. Na boca dela desenha-se, fine and mellow, a doçura nocturna, perdida, de um sorriso. A maravilhosa ironia do teu olhar.

 

Sobre Escrever é Triste

O nome, tiraram-mo de Drummond. Acompanho com um improvável bando de Tristes. Conheço-os bem e a eles me confio. Se me disserem, “feche os olhos”, fecharei os olhos. Se me disserem, “despe-te”, dispo-me.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

6 respostas a Há homens a soprar no fumo da noite

  1. Nos nossos dias, no Japão sopra-se melhor. bfds

    • Escrever é Triste diz:

      Se eu tivesse um Táxi também saberia todos os bons endereços. bfds, caro Pluvioso

      • Mas o táxi é do Salvador Dalí, o volante guina para atropelar o André Breton. Mas aqui fica outro soprar, este com a história, que nos contavam na infância:

        • Escrever é Triste diz:

          Se é para ser surrealista, estimado Pluvioso, o Táxi devia atropelar a eito.

  2. Rita V diz:

    Ó Tia … que noite!

Os comentários estão fechados.