Misturam-se os tempos, misturam-se as vontades

A realidade é pobre e a arte é escassa. A inversa é provavelmente verdadeira. Mas há quem não se contente com nenhuma delas e exija as duas.
Ben Heine, um artista belga, tem tantos olhos como barriga: desenha, pinta e fotografa. Não prescinde da realidade e socorre-se desavergonhadamente da imaginação.

O resultado é intrigante, um circo de manipulação e realismo, de fantasia e de verismo. Ou, para voltar a velhos tempos, o inverosímil é mesmo muito verosímil. Se Camões fosse para aqui chamado, diria: misturam-se os tempos, misturam-se as vontades.

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.

Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

5 respostas a Misturam-se os tempos, misturam-se as vontades

  1. João Pessoa diz:

    Há tanta gente com habilidade para tanta coisa, pintam, fotografam, manipulam a máquina para alterar a realidade, eu para aqui, embasbacado, a olhar estas maravilhas…
    Há injustiças que eu desconsigo entender, os outros sabem fazer tanta coisa e eu, só saboreio o que eles fazem…
    João Pessoa

    • Manuel S. Fonseca diz:

      Ó João, só se faz para que alguém saboreie…

      • João Pessoa diz:

        Nesse caso, Manel, vou passar a degustar…e se for um texto teu ou da “Tia”, tanto melhor, embora, confesso, consuma a produção de todos os autores aqui publicados.
        Abraço

  2. e os retratos dele , viu? dos colegas? que bem que deve fazer ao ‘igo’
    eh eh eh
    mas ninguém me tira este – http://www.mcescher.nl/Shopmain/Foto/Posters/e26.jpg

Os comentários estão fechados.