João Cóias

No baú guardo,  bem guardado, o que resiste a todas as mudanças e ao passar dos anos. A amizade que se faz nos bancos de escola ou ao estirador de uma sala de aula.

Fui ao baú tirar a nossa fotografia com o Mestre Lapa, na sala das Sabinas do IADE.

1978, Mestre Lapa com Alunos do 3º Ano na Sala das Sabinas do Palácio Marquês de Pombal em Lisboa

O Mestre Lapa ao centro, um grupinho inseparável à tua volta – a Fernanda, a Cristina, a Rita, a Marina, a Margarida e eu mais à frente. À direita em cima o Rui e à tua frente a Wanda, o Miguel, a Ana …

A culpa de nos termos cruzado em 77, foi do 25 de Abril que nos fechou as portas da ESBAL (Arquitectura) e fomos uma data deles parar ao IADE.       🙂

O João Cóias, aka Joca, já era mestre do risco quando nos tornámos amigos e fascinava-me a facilidade do traço e a sua cativante criatividade. Sem autores heróis de BD e sem a possibilidade de trabalhar com Kirby ou Eisner eu olhava para o Joca com admiração e pensava – quando for grande quero desenhar como ele.

(Um dia o  Joca disse-me a olhar para um rascunho: – Tens um traço giro, miúda!
Eu e o meu prego nunca mais esquecemos.)

Assim, e porque ele é realmente único, pedi-lhe o Banner/Header deste nosso ‘Escrever é Triste’ para que, junto desta ‘cambada de tristes’, nos alegre com a sua espontaneidade.
O João Cóias é ainda co-autor do blog ‘Jugular’.

Ilustração de João Cóias

Os brinquedos dos anos 60 obrigaram-no a procurar no papel os mundos que ele não via em lado nenhum.
Riscou tanto, durante tantos anos, que se tornou  ambidestro para poder descansar a mão de serviço…
O Pai, (juiz),dizia-lhe: “faças o que fizeres tenta ser o melhor, nem que seja a assaltar bancos”.
Aos 16 anos já vendia bonecada para editoras de livros de colorir.

No fim do curso já estava ligado aos story-boards, shooting-boards e a tudo o que estava ligado ao cinema publicitário.
Em 2006 convidam-no para uma agência de publicidade e até 2000 fica ligado “à venda do que não nos interessa”.

Às 20:02m do Dia 20/02 de 2002 (uma data baseada num palíndroma que não volta a acontecer nas nossas vidas) faz a  primeira expo: Concepts.

Em 2003 faz a segunda: Handle With Care

Em 2004 começa a fazer bonecos aos quais chama Freds e entra na blogosfera…

Cria, em 2005, no blogspot o Webcedario, que ao fim de 7 anos (com um livro editado) é um sucesso na Amazon, na versão americana, nos Top 100

webcedario by João Cóias

Os Freds tornam-se procurados na web e recebe e exporta encomendas…
Desafios na área da cenografia, art-direction para filmes, graphic design & conceptual design passam a ser o seu dia a dia.

Cola-se bem ao João a frase: o “risco”, sempre foi a minha profissão…

Thanks ‘mate’!

Sobre Rita Roquette de Vasconcellos

Apertava com molas da roupa, papel grosso ao quadro da bicicleta encarnada. Ouvia-se troc-troc-troc e imaginava-me a guiar uma mobylette a pedais enquanto as molas a passar nos aros não saltassem.
Era feliz a subir às árvores, a brincar aos índios e cowboys e a ler os 5 e os 7 da Enid Blyton.
Cresci a preferir desenhar a construir palavras porque… escrever é triste.

Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

8 respostas a João Cóias

  1. Hoje estou mesmo sem tempo, aqui fica um pouco de pesca e bfds

  2. pedro marta santos diz:

    Magnífico contributo. Não o podemos roubar para aqui, João?

  3. manuel s. fonseca diz:

    Vou passar a trazer uma destas fitas no pulso. Obrigado João. (Rita, o que seria dos retratos da Escrever sem si?)

  4. Bernardo Vaz Pinto diz:

    Extraordinário portfólio, uma parte da nossa história “laçado” em ” banner” …

Os comentários estão fechados.