Coisas que a pessoa pensa (3)

Os sonhos, os que se sonham tanto acordado como a dormir, são como as entranhas. São privados e não para ser partilhados salvo com membros das profissões terapêuticas.

Sobre Pedro Bidarra

As pessoas vêm sempre de algum sítio. Eu vim dos Olivais-Sul, uma experiência arquitecto-sociológica que visava misturar todas as classes sociais para a elevação das mais baixas e que acabou por nos nivelar a todos pelo mais divertido. Venho também da Faculdade de Psicologia da clássica, Universidade Clássica de Lisboa onde li e estudei Psicologia Social e todas as suas mui práticas teorias. Venho do Instituto Gregoriano de Lisboa onde estudei os segredos da mais matemática, e por isso a mais emocional e intangível de todas as artes, a música. E venho sobretudo de casa: de casa das duas pessoas mais decentes que até hoje encontrei; e de casa dos amigos que me ajudaram a ser quem sou. Estes foram os sítios de onde parti. Como diz o poeta (eu): “Para onde vou não sei/ Mas vim aqui parar/ A este triste lugar.”
Esta entrada foi publicada em Escrita automática. ligação permanente.

9 respostas a Coisas que a pessoa pensa (3)

  1. Manuel S. Fonseca diz:

    Os sonhos são o diabo – mesmo quando são Deus. Quer dizer, sobretudo quando são Deus. Ia dizer, basta ver o caso de Nossa Senhora, mas sou capaz de estar a exagerar.

    • Pedro Bidarra diz:

      No caso da nossa senhora pode ter sido alucinação provocada ou por ervas do campo ou insolação. Mas que são o diabo são.

  2. Panurgo diz:

    Os antigos já sabiam disso; aprende-se com eles. Só devemos partilhar os nossos sonhos com padres, dealers e prostitutas.

  3. Aos sonhos o que é dos sonhos.

  4. Maria diz:

    O meu desacordo é de 100%. Não os devemos/podemos contar a qualquer um. Tem/deve haver aquela pessoa em quem confiamos totalmente ao ponto de lhe contarmos os nossos sonhos, todos, mas mesmo todos os nossos sonhos, mesmo os mais sórdidos. Se assim não for viveremos, sempre, na mentira, no desassossego.

    Se levarmos essa premissa à letra, então nunca poderemos dizer ao outro que sonhamos com ele, que o queremos, que faz parte da nossa pele, que o amamos?

    • Pedro Bidarra diz:

      A maria é muito corajosa. Deus me livre contar os meus sonhos. Quando os conto são, antes, muito bem editados.

  5. Maria diz:

    Isso já não são sonhos: deixou, desse modo, de haver o caos, as desconexões, o negro e a luz… que lhes são inerentes!

Os comentários estão fechados.