Coisas que a pessoa pensa (9)

Não tem mal não gostar de algumas crianças. Às vezes vemos nelas os adultos em que se irão transformar e não gostamos.

Sobre Pedro Bidarra

As pessoas vêm sempre de algum sítio. Eu vim dos Olivais-Sul, uma experiência arquitecto-sociológica que visava misturar todas as classes sociais para a elevação das mais baixas e que acabou por nos nivelar a todos pelo mais divertido. Venho também da Faculdade de Psicologia da clássica, Universidade Clássica de Lisboa onde li e estudei Psicologia Social e todas as suas mui práticas teorias. Venho do Instituto Gregoriano de Lisboa onde estudei os segredos da mais matemática, e por isso a mais emocional e intangível de todas as artes, a música. E venho sobretudo de casa: de casa das duas pessoas mais decentes que até hoje encontrei; e de casa dos amigos que me ajudaram a ser quem sou. Estes foram os sítios de onde parti. Como diz o poeta (eu):
“Para onde vou não sei/ Mas vim aqui parar/ A este triste lugar.”

Esta entrada foi publicada em Escrita automática. ligação permanente.

14 respostas a Coisas que a pessoa pensa (9)

  1. GRocha diz:

    e é uma pena chegarmos a essa conclusão 🙁

  2. A criança é um fanático dos popós em ponto pequeno. boa semana

  3. Perigosa futurologia…

    • Pedro Bidarra diz:

      Pode ser mas, de um modo ou outro é o que fazemos todos com os nossos filhos. ter sonhos por eles, e para eles, também é uma futurologia, até mais actuante. É a self fulfilling profecy que dá cabo de muita gente.
      Do que eu falava é daquela clarividência que só os estranhos têm sobre a personalidade das criança, coisa que os pais são incapazes, cegos que estão comos sorrisos dos seus rebentos.

  4. Pedro, é que olha-se para eles e sabe-se que o pior que tememos vai ser um objectivo largamente superado.

  5. Panurgo diz:

    De acordo. Só os temos de ajudar a tornarem-se nas piores pessoas possíveis.

    • Pedro Bidarra diz:

      Não é preciso grande esforço. É deixar andar que os paizinhos encarregam-se

  6. Maria diz:

    Não concordo. Há alguns anginhos de crianças que se revelarão autênticos luciferes sendo o inverso também verdade!

    • Pedro Bidarra diz:

      E assim se arranja material para filmes e romances. Nada como um bom final. Feliz ou infeliz

  7. fernando canhão diz:

    Não tem mal não gos­tar de algu­ns velhinho(a)s. Às vezes vemos nele(a)s como foram em adul­tos e não gostamos.

Os comentários estão fechados.