Press Play

Hoje, para tornar ‘perfeito’ o passado / presente deixo uma sugestão: Pode ler a letra aqui e: «Press Play»

Sobre Rita Roquette de Vasconcellos

Apertava com molas da roupa, papel grosso ao quadro da bicicleta encarnada. Ouvia-se troc-troc-troc e imaginava-me a guiar uma mobylette a pedais enquanto as molas a passar nos aros não saltassem. Era feliz a subir às árvores, a brincar aos índios e cowboys e a ler os 5 e os 7 da Enid Blyton. Cresci a preferir desenhar a construir palavras porque... escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

10 respostas a Press Play

  1. fernando canhão diz:

  2. Manuel S. Fonseca diz:

    Já estive a cantar, Rita…

  3. E continuando a série mulheres a cantar, a Hayley, agora ela deve andar pelos 20 anos e picos, não sei se será alguma vez conhecida do grande público – (do público em geral, adoro escrever frase feitas, se tivesse engenho e arte só escreveria frases feitas, dá um ar de erudição, dá ar de um Rebelo de Sousa, de um português de gabarito. Gabarito, eis uma palavra muito nossa, está é que é nossa. A conversa da saudade, como algo nosso, é treta de marketing para vender fado, todos os outros povos têm isso de saudade, agora gabarito, só nós é que temos). A Hayley:

  4. E agora uma simplesmente Maria:

Os comentários estão fechados.