So far

 

até aqui ela só fazia charme no sofá, bolando de um lado para outro. só fama em torno dela. notoriedade da pequena. parece que na hora de mudar do sofá para a cama, algum sofisma pairava sobre a cena.

 

Sobre Ruy Vasconcelos

Nasci mais ou menos no Brasil. Vivi em alguns lugares distantes. Em trânsito. Em transe. Em tradução. Por aí, ocupado com palavras. Palavrinhas, palavronas. Conheci estes amigos portugueses um blogue atrás. E gostei do que li.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

8 respostas a So far

  1. Pode ser que sim, meu amigo Ruy, mas olhando-lhe para as pernas não se lhe desvela a falácia.

  2. Ruy Vasconcelos diz:

    é, manel, este teu comentário pernicioso remete a um trechinho do primeiro poema de drummond:

    O bonde passa cheio de pernas:
    pernas brancas pretas amarelas.
    Para que tanta perna, meu Deus, pergunta meu coração.
    Porém meus olhos
    não perguntam nada.

  3. Apenas a vender sonhos:

  4. Maria do Céu Brojo diz:

    Do mesmo, se queixam muitos. Do equivalente no masculino, muitas elas.

    • Ruy Vasconcelos diz:

      ah, não tenho a menor dúvida, maria do céu. mas não é isso excepcional? saber que a concorrência é, em verdade, menor do que se imagina?

      • Maria do Céu Brojo diz:

        Que importa a putativa concorrência, existe?, quando o seu delicioso apontamento está recheado com graça e ironia?

Os comentários estão fechados.