Thank you London 2012

O espírito olímpico deixou-me em estado de graça, do primeiro ao último dia. Com a idade, damos mais valor à palavra de ordem – ‘Participar’ – e foi isso que vi e me emocionou. Já sabemos que subir ao podium não é o mais importante e que o nº 1 é um lugar muito solitário.

Ver as ‘Spice’ ontem até me fez gostar um bocadinho delas!

Não esperem que vos descreva as ‘silly emotions’ que tive ao longo destes dias, mas foram várias e sempre boas … ‘it was worth it’.

Thank you ‘London 2012’.

Welcome Brasil 2016.

E assim acompanhou o Google os Jogos.

Sobre Rita Roquette de Vasconcellos

Apertava com molas da roupa, papel grosso ao quadro da bicicleta encarnada. Ouvia-se troc-troc-troc e imaginava-me a guiar uma mobylette a pedais enquanto as molas a passar nos aros não saltassem. Era feliz a subir às árvores, a brincar aos índios e cowboys e a ler os 5 e os 7 da Enid Blyton. Cresci a preferir desenhar a construir palavras porque... escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

13 respostas a Thank you London 2012

  1. Luciana diz:

    Querida Rita,

    desde sempre gosto de Olimpíadas. Assisto tudo que posso, sempre com lágrimas e risos alternando-se. Acho que há muito de civilidade a aprender com os que passam pelos Jogos (e com os que os jogos ficam neles, pois claro).

  2. T. diz:

    Fui um bocadinho crítica , irrita-me que os atletas portugueses quando perdem, na primeira eliminatória , digam que não faz mal em vez de dizerem que melhor é possível. Orgulhei-me, por conta de outros, quando vi alinhados os kayaks NELO que teve a coragem de não mudar de nome para SurfRow ou outra coisa qualquer.Gostei da luta dos senhores do ping pong, enervei-me imenso com o atleta do trampolim que caíu… comentei mesmo que só lhe faltava caír da cama abaixo! Adorei ver os jamaicanos a darem um bigode nos ocidentais . E de repente achei que todos estes sentimentos eram Silly! A coisa não é assim tão importante, ainda que seja imponente.

  3. Manuel S. Fonseca diz:

    Rita, ontem gostei dos Who. O Pete Townshend era mesmo um grande guitarrista. Tenho de lhe fazer um rendido post.

  4. Teresa Conceição diz:

    Rita, que belo espírito para se ter. E que belo resumo. Desta vez até fiquei com pena de não ter televisão. Só vi alguma coisa pela net e fui lendo as histórias. E gosto de saber do seu estado de graça:)

  5. candidapires diz:

    queria deixar um abraço, naturalmente com 2 braços … só ficou um … cansado o outro de tanto dançar, quem sabe ?

  6. Não vi. Mas percebo a sua importância capital, vital, neste estado do capitalismo, em que a mercadoria tem dificuldade em circular, (problemas no crédito, uma espécie de falência da indústria financeira, salva graças ao dinheiro dos contribuintes, mas assustada em emprestar, pois não há certeza de que os políticos lhes darão mais dinheiro dos impostos, na próxima falência).

    Pelo que li a Inglaterra esteve muito bem na promoção dos seus produtos, e prevê-se grande aumento nas vendas de música e moda, por exemplo. Eles já não têm os Beatles para lhes reconfortar o PIB, há que deitar mão a tudo, e os seus políticos estão a fazer bom trabalho. A única preocupação de Cameron, em relação à Europa, é, que os mercados estejam abertos.

Os comentários estão fechados.