Matemática e Semiótica

 

às vezes, penso em matemática e semiótica. Parecem domínios tão ao largo

Mas será que se as múmias fossem craques em solucionar teoremas, os números seriam múmeros?

 

Sobre Ruy Vasconcelos

Nasci mais ou menos no Brasil. Vivi em alguns lugares distantes. Em trânsito. Em transe. Em tradução. Por aí, ocupado com palavras. Palavrinhas, palavronas. Conheci estes amigos portugueses um blogue atrás. E gostei do que li.
Esta entrada foi publicada em Escrita automática. ligação permanente.

14 respostas a Matemática e Semiótica

  1. curioso (osiris) diz:

    sinais dos tempos: não foram… por isso, são

    e sãs foram, para não terem de ser craques em coisa nenhuma, porque já tinham sido e estavam matematicamente convencidas que continuariam a ser, sendo sãs

    a semiótica foi matematicamente ultrapassada pela ótica, em que nada falha pelas leis da Física, onde s números são matematicamente mumificados pelos craques da teoremização, na sequência de tamanha provocação 😉

    bom domingo, mesmo que múmias ameacem semioticar a paz da Gente

  2. Ruy Vasconcelos diz:

    um bom domingo, curioso-osíris, e obrigado pela leitura-complemento.

    ass. curioso-miquerinos

  3. Se Pitágoras tivesse sido mumificado, talvez. A seita jurava pela tétrada, não comia favas nem vestia lã, e calçava os sapatos começando pelo direito, distinguindo-se de nós que nos calçam os dois ao mesmo tempo, signo dos tempos mas sem significante nem significado, encontrar-nos-emos todos numa repartição de finanças para solucionar teoremas, ver o filme homónimo de Pasolini, e dentro de muitas décadas, tétradas e mais tétradas, sermos outra vez camões, gamas, godinhos gagos, tristes ronaldos pessoas, não nos encandeie o sol:

    http://www.youtube.com/watch?v=7AGBQj2Vo1c

  4. Maria do Céu Brojo diz:

    Assim de repente, lembro Barthes e Eco. E, penso, o ‘papiro de Ahmes’, embora em arrevesada simbologia, não prejudicou números nem as Ciências ou os humanos que deles necessitam. À matemática aplicada, de longe prefiro a aparente inutilidade da pura.

    • Ruy Vasconcelos diz:

      é. as inutilidades vão mesmo na contramão deste mundo de utensílios em cornucópia. um contraponto saudável, como sugere a céu.

  5. A Múmia à pedra , o teorema ao número, o significado do sentido ao viver….Mas sim, os números não seriam os mesmos, That’s for sure!

  6. Ruy Vasconcelos diz:

    sim. ir do regime lamelar ao vorticoso. essas grandes abstrações científicas, que nos ajudam a conversar à distância, vender algumas tranqueiras, projetar, fazer. mas não explicam muita coisa…

  7. Depois do coração colocado no lugar, who knows?

  8. Ruy Vasconcelos diz:

    i agree, prudent rita.
    mas, que lugar?

  9. Talvez fossem escaravelhos, cada um da sua cor.

  10. Ruy Vasconcelos diz:

    boa hipótese, insone antónio.

Os comentários estão fechados.