Traição

 

Lembro uma frase. Famosa. A  frase do Right Honourable William Edward Forster:

“Se eu tivesse de escolher entre trair a minha pátria e trair um amigo, esperaria ter a coragem necessária para trair a minha pátria.”

Pactos destes são coisas seríissimas.

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.

Esta entrada foi publicada em Escrita automática. ligação permanente.

12 respostas a Traição

  1. Rita V diz:

    Às vezes não são pactos … são dívidas!

  2. curioso (esclarecedor) diz:

    A frase original (e o contexto) poderão ajudar a entender melhor o seu alcance.

    Que pátria?

    Que amigo?

    WEF era Quaker e a Sociedade dos Amigos era uma causa religiosa.

    Entretanto, lê-se na sua biografia que o grande princípio orientador da sua carreira foi a Parábola dos Talentos.

  3. Panurgo diz:

    Temos que adaptar à realidade portuguesa; no dia em que se trai um amigo, monta-se a Pátria; quando se trai a Pátria, fazemos amigos.

    • fernando canhão diz:

      a pátria é o local onde se arruma o carro, em renting. Preferencialmente no sitio das grávidas, fica mais perto da saída. Tendo seguro de franquia, não se fecha a porta, e chave debaixo do tapete. Trair a pátria é como beber Monte Velho, não faz sentido.

  4. curioso ($0$) diz:

    mesmo quando a Pátria é velha, pobre, desvalorizada… e os amigos já não são o que eram… (amigos, amigos & negócios)

  5. Ruy Vasconcelos diz:

    “Pac­tos des­tes são coi­sas seríssimas”
    especialmente à meia-noite numa encruzilhada

  6. curioso (antes só...) diz:

    coisas do Diabo 😉

    As atitudes de Robert ajudavam para sua fama. Seu hábito de tocar de costas para o público durante shows. Diziam que ele fazia para esconder o olhar de demônio que surgia para ajudá-lo. Em outra versão dizem que ele tocava de costas para esconder os acordes que ele inventava e não querendo que alguém o copiasse ou até mesmo se ele tocasse virado para o público de frente, o pacto que ele supostamente teria feito seria desfeito e Robert morreria.

    http://www.issodamedo.net/2011/06/o-pacto-de-robert-johnson.html

  7. curioso (pessimista) diz:

    e o resultado pode ser altamente negativo 🙁

  8. Pedro Bidarra diz:

    Quando um amigo te trai deixa de o ser. O mesmo se passará com a pátria. E assim fica tudo mais fácil. Que se fodam os dois

  9. cc diz:

    A pátria são os nossos amigos, o resto são fronteiras sem importância nenhuma.
    ~CC~

  10. Especialmente nunca trair um amigo numa pátria estrangeira….

Os comentários estão fechados.