sem título

E vi um sorriso no parêntese do teu olhar.

(José Luís Peixoto)

Sobre Sandra Barata Belo

Nasci em Lisboa no final da década de 70. Cresci em Alfama e nas férias, que não são grandes, vou sempre para o Alentejo.
Sou filha única, aprendi a brincar sozinha. Gosto que me contem histórias mas também gosto de as contar. A palidez da realidade pode pôr-me sem cor, por isso nada melhor que uma boa gargalhada. Gosto de coisas simples, de pessoas generosas, gosto de arte.
interpretei a grande Amália no cinema. Seguiram-se as novelas da SIC. Isso faz com que as pessoas me reconheçam na rua. Estudei no Chapitô onde aprendi todas as bases do que sei fazer hoje. Já fiz muitas coisas, dancei, fui trapezista, malabarista e clown (fica sempre melhor em inglês). Produzo, dirijo e levo a palco livros e autores que admiro. Continuo a querer fazer muitas coisas diferentes. Sou curiosa e não quero deixar de o ser.

Esta entrada foi publicada em Escrita automática. ligação permanente.

7 respostas a sem título

  1. Orvalho diz:

    … e que não te caiam os parênteses na lama!

  2. Manuel S. Fonseca diz:

    Sem parêntesis o teu olhar…

  3. curioso (olh ando) diz:

    2 olhos, 4 parêntes is, 6 curvas

  4. Maria do Céu Brojo diz:

    Quantas vezes um parêntesis é de tal modo tagarela que ensurdece a leitura dele feita.

  5. nanovp diz:

    Mais vale um sorriso do que uma lágrima, não?

  6. curioso (sem grça) diz:

    a lágrima vem depois…

Os comentários estão fechados.