As aventuras de Pedro

O meu Triste Pedro, não o Marta, nem o Norton, mas o Bidarra, mandou-me um telegrama – e pensava eu que já nem havia entregas! Escreveu este artigo (por sinal um daqueles que me enche de vaidade de acolher tantos Tristes aqui em casa) e não consegue, nos remotos locais onde está, ou na intrincada aventura em que se extasia, responder aos comentários com que foi brindado. Promete dizer a cada um dos comentadores tudo o que lhe vai na alma, assim que regresse ao século XXI. Agradece ainda esta simpática (e merecida, digo eu) escolha do Delito de Opinião.

Havia uma linha no telegrama que não era para vos ser lida, mas não resisto. O Pedro prometeu-me que assim chegue o primeiro post é sobre boas. Só não sei se são constrictors.

Sobre Escrever é Triste

O nome, tiraram-mo de Drummond. Acompanho com um improvável bando de Tristes. Conheço-os bem e a eles me confio. Se me disserem, “feche os olhos”, fecharei os olhos. Se me disserem, “despe-te”, dispo-me.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

4 respostas a As aventuras de Pedro

  1. A subir o rio Congo com o Conrad? Conte lá, Tia…

  2. Maria do Céu Brojo diz:

    Conte, conte, querida Tia.

Os comentários estão fechados.