Da língua para fora

Bem podem deitar-me a língua de fora. A língua é um convencionado sistema de signos. Ou talvez seja antes um sistema de signos que nos convenciona. E não me admira que continuem de língua de fora: a língua é uma instância que exprime pulsões macacas e pinta esse velho palhaço que é o inconsciente. Ah, pois, mas se fazemos sentido é pela língua, para o que umas vezes a língua está dentro e outras está fora.

Mostro-te a minha língua e mostro-te quem sou. Mostras-me a tua língua e eu desato-me a rir. Ora, experimentem também:
Digo: vais pagar as favas e vem logo uma francesinha dizer que eu vou é payer les pots cassées. Digo: quando as galinhas tiverem dentes e entra uma hiperbólica italiana que reclama quando gli asini volerano e logo um sintético parvo dum inglês when pigs  fly. Já não aguento e movo céu e terra, enquanto um  eficaz espanhol se limita a remover Roma con Santiago. Portuguesíssimo, não vejo o fim do túnel, enquanto um súbdito de His Majesty the Queen só quer to be out of the wood, se calhar para ver se Angela Merkel já chegou über den Bergen. E se eu tenho macaquinhos no sótão vem logo uma holandesa mamuda dizer que een klap van de molen gehadhebben que é o mesmo que levar com a pá de um moínho na carola.

Sabes que mais? Mete-me essa língua para dentro.

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

16 respostas a Da língua para fora

  1. Maria do Céu Brojo diz:

    Âinda o café madrugador fumega e já rio neste Triste. Sabe deliciosamente.

  2. Panurgo diz:

    Não mete nada a língua para dentro! Mau, estamos a falhar.

  3. Ivone Costa diz:

    Assim logo de manhãzinha a deitar a língua de fora ao mundo, Manuel?

  4. curioso (lin guando) diz:

    língua (fon)seca… uma bela (e triste) treta 😉

  5. Eu aqui fico pensando o quanto uma visita ao médico pode ser inspiradora. “Põe a língua pra fora e diga 33” e zás, um belo post pra cutucar os tristes.

  6. curioso (cu tocando) diz:

    cu tu quê? 😉

  7. Belas ilustrações linguísticas, Manel.
    Não foi ao pequeno-almoço, mas soube muito bem 🙂

  8. curioso (gago) diz:

    esta é melhor…

Os comentários estão fechados.