Deficiente

Não há maior ‘handicapé’ do que aquele que acha que não é capaz!

Sobre Rita Roquette de Vasconcellos

Apertava com molas da roupa, papel grosso ao quadro da bicicleta encarnada. Ouvia-se troc-troc-troc e imaginava-me a guiar uma mobylette a pedais enquanto as molas a passar nos aros não saltassem.
Era feliz a subir às árvores, a brincar aos índios e cowboys e a ler os 5 e os 7 da Enid Blyton.
Cresci a preferir desenhar a construir palavras porque… escrever é triste.

Esta entrada foi publicada em Escrita automática. ligação permanente.

9 respostas a Deficiente

  1. Zé Manel diz:

    E a INCOMPREENSÃO? que me deu para “isto”, há muitos muitos anos, sobre alguém que que Deus não me deixa esquecer…

    Desafiaste a vida,
    Desafiaste Deus.

    A tua vida é louca! Serás louca?

    Nunca te encontrei, nunca te conheci.

    Que ninguém diga que pecaste.

    Porque um dia, quando partires,
    Deus vai lá estar…e os outros não.

  2. Benvinda Neves diz:

    oh meu Deus, vocês levam-me a crer que tenho muito que rezar….rsrrsrs

  3. Manuel S. Fonseca diz:

    Rita, o que é isso de ser capaz, deve ser uma doença… ah, ah, ah…

    • “in memoriam”,

      Algumas Coisas

      A morte e a vida morrem
      e sob a sua eternidade fica
      só a memória do esquecimento de tudo;
      também o silêncio de aquele que fala se calará.

      Quem fala de estas
      coisas e de falar de elas
      foge para o puro esquecimento
      fora da cabeça e de si.

      O que existe falta
      sob a eternidade;
      saber é esquecer, e
      esta é a sabedoria e o esquecimento.

      Manuel António Pina, in “Aquele que Quer Morrer”

      (coisas que uma pessoa é capaz de escrever)

  4. nanovp diz:

    A maior coragem é ser-se capaz de esquecer tudo aquilo que não vale a pena.

  5. curioso (corajoso) diz:

    «Não há maior ‘han­di­capé’… »

    equivale ao pior cego?

Os comentários estão fechados.