Ovo estrelado

Esta prosa tem anos, mas achei que valia a pena recuperá-la porque, de repente e de rompante, a Juliana Paes voltou a estar na moda.

Já não sei quem, uma madura socialaite ou uma menina ingénua, só sei que me perguntaram se eu tinha alguma receita gourmet para estrelar ovos. Pois bem, por acaso até tenho. E não é simplex. Ponto parágrafo e, darling, tome lá.

Coloque uma noz de manteiga na frigideira. Vai ver que com o calor a noz derrete (por ser de manteiga, claro). Cá fora, separe a gema da clara. É fácil, e se não conseguir fazer isto em condições temo que haja muitas coisas, imperativas e delicadas, que essas suas mãos não vão também conseguir fazer.

Quando a manteiga estiver bem quente, ponha a clara (só a clara) na frigideira e deixe fritar até que a fímbria da dita se exiba ostensivamente dourada, a roçar o castanho queimado. Nessa altura, com aquele módico de ternura que qualquer cozinha exige, coloque a gema em cima da clara, polvilhando com quatro pedrinhas de sal (ui, se for flor de sal) e três singelos grãos de pimenta.

Com uma colher, verta a manteiga douradinha (já castanho escuro, se nos deixarmos de lirismos) sobre a gema. Quando a dita der sinais exteriores de estar a bronzear (em boa verdade a clara deve ter o mesmo tom de pele da Juliana Paes e a gema a política e rebelde incandescência duma Pocahontas) retire o ovo da frigideira e sirva com uma fatia de pão de centeio com nozes ao lado. Melhor, trinque: hmmm, é em momentos como este que se percebe como o sexo anda sobrevalorizado.

Todo o prazer é prazer de boca – só não sei se foi Jean Genet ou James Joyce a soletrar degustadamente este remate aforístico.

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.

Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

23 respostas a Ovo estrelado

  1. Ui!…, que podíamos fazer um simposium à volta do assunto…

    • Manuel S. Fonseca diz:

      Um simpósio na cozinha é o delírio que nehum palestrante da Gulbenkian algum dia terá…

  2. teresafont diz:

    Logo pela fotografia percebi que ler a receita do Manuel a esta hora era imprudente. Mas quê! Agora, por um lado tenho ovos cujo prazo expirou há uma semana. Não sei…Por outro, não tenho nada-a gata até deu um pulo, coitadinha. Acho que se não boiarem num recipiente com água estão bons. Os ovos. Seguirei a receita à risca e depois dou noticias. Espero.

    ps- O Joyce disse isso? Eu não sou de intrigas, mas se calhar foi o Genet.

    • Que despropósito Teresa, isto é veneno Manuelino, quem o disse foi a Shakira que é menina para saber o que diz – e em dois volumes de Oral Fixation só para para dar nervos ao tio Freud.

      • teresafont diz:

        Eugénia, mas que bom encontro. Estou devedora, sei. Mas contente. Olhe, mais ou menos como todos os portugueses.

        Agora que me diz, pois claro que foi a Shakira! O tio Freud deve andar há anos num desatino. Bem feito, ninguém o mandou sacudir a culpa de tudo para cima de umas pessoas que a gente sabe.

    • Manuel S. Fonseca diz:

      Teresa, a sua gata deu um pulo? Se calhar foi por lhe ter saltado ao caminho o cão da Eugénia… E, aquilo de fazer uma boquinha, quem disse, quem disse, talvez nem o Genet da Teresa, nem a Shakira da Eugénia… Não foi a Marilyn no Seven Years Itch?

      • teresafont diz:

        Manuel só vergonhas, eu, que presumo saber de fitas, tinha a ideia que a minha querida Marilyn nem falava no Seven Years Itch. E se falou, para quê? O ovo estava glorioso, faltou a flor-de sal. Merci, como aprendi aqui-e a rimar destas maneiras também.

        Isso da gata é que não. Ela e o cão da Eugénia escrevem-se mas não se conhecem pessoalmente.

  3. nanovp diz:

    Triste pequeno almoço “gourmet”…fiquei cheio de fome….

    • Manuel S. Fonseca diz:

      Bernardo, hoje era dia de um breakfast californiano: 6 ovos, feijão, bacon, salsichas, duas canecas de café…

  4. Maria do Céu Brojo diz:

    Abriu-me o apetite. Lá terei de aprontar o almoço.

  5. Panurgo diz:

    Falta uma coisa que não falta à Juliana: presunto.

    • Manuel S. Fonseca diz:

      … que não é lardo…

      • FC diz:

        Rissois de marisco(?), com uma Laurentina preta, já depois das 9:30 da manhã, acompanhados com batatas fritas em doses mortais, isto no PiripIri, com um picante verde delicioso, enquanto a 24 de Julho se transformou num rio de enorme caudal, 24 de Julho dia das nacionalizações, e não a outra cuja razão da efeméride desconheço. Saber que se a chuva continuar ali podemos ficar o dia todo, correndo o menu de lés a lés, e inclusive pernoitar (bastando para tal atravessar a rua), na Hospedaria da Condessa de Connaugh. Em resumo o importante é ser-se de boa boca, no que refere ao gosto bem entendido.

        • Panurgo diz:

          Isso é de fino. Eu fico-me pelas minhas panquecas com marmelada depois do banho, e com os meus batidos depois do treino, que um gajo de manhã cedinho, mal preparado que vai para o espectáculo da lasca de bacalhau curada em lycra e sabe Deus lá mais em quê, fica com a beiça sedenta. Pior do que presunto à chuva, caramba.

        • Cuca Preta. Fernando, isso pede uma Cuca Preta.

          • fernando canhão diz:

            Caros cavalheiros de Industria, apercebi-me e há pouco, de um erro no que escrevi, a dita da pensão não é Condença mas sim Marquesa. Enquanto procuro uma 2M, que a aqui a Cuca escassa, pois que alguém me explique a utilização da Lycra no fiel amigo. E se possivel de um modo sórdido e acabar com o tema do lailailai em homenagem aquela cujo nome não se pode pronunciar.

  6. CC diz:

    Laurentinas ou Cucas tanto faz…mas com uns belos camarões grelhados com muito piri piri (que afortunada sou que nasci num país e apaixonei-me pelo outro). Agora ovos estrelados?! O Manuel que me desculpe mas nem pensar! E o que é isso do pão com nozes? Um toque nórdico estou a ver…traições! 🙂
    ~CC~

    • Pão de centeio com nozes? Ou com azeitonas? ~CC~ olhe que é sabor português… é quase pão alentejano. Então eu ia lá agora em mariquizes de farinha e forno? 🙂

  7. Rita V diz:

    O meu Ovo estrelado nunca mais será o mesmo
    ah ah ah

  8. Ana Rita Seabra diz:

    Fiquei com água na boca 🙂
    Vou fazer para o meu jantar!

Os comentários estão fechados.