A mulher que se casou com o seu bolo

Creio ser esta a quinquagésima sexta vez que nomeio Patrick Besson como meu cronista favorito. Esta semana, ele volta a dar-me razão. A crónica é “Les mariés de l’ an douze” e começa assim: “Imperador Calígula, o primeiro adepto do casamento para todos: casou-se com o seu cavalo.

A seguir, Besson chama à colação o casamento entre pessoas do mesmo género e  desafia-nos a ir mais longe. Em 10 exemplos. Experimentei um deles, o casamento entre um tipo vivo e uma actriz morta. Escolhi logo Brigitte Bardot. Fiquei chocado quando me disseram que ela ainda está viva. Pena ou embaraço, ninguém se atreveu a dizer-me que era eu que estava morto.

Adiante: Besson propõe casamentos entre uma mulher e o seu animal de estimação – passo – entre um homem e um livro (só para irritar o Henrique Monteiro e isto é uma piada en avance sobre o seu tempo, mas um dia perceberão, casava-me com “Os Sinais de Fogo”), entre dois irmãos, entre uma mulher e um bolo (sic).

Se não forem a correr ler, que raio de leitores é que os meninos e as meninas são deste Escrever tão triste?

Sobre Manuel S. Fonseca

O meu maior medo é que a morte seja tudo às escuras sem se poder ler. Pouco interessa deixar de ser humano, desde que não deixe de ser leitor. Ler é do mais feliz que tenho. Até porque escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

27 respostas a A mulher que se casou com o seu bolo

  1. Olhe pronto(s)
    assim como assim
    casava-me com a minha Wacom
    http://www.wacom.eu/index2.asp?lang=en
    😀

    • Manuel S. Fonseca diz:

      Bem visto, o Besson (que é mais dado à pinga) tem uma variante, entre um escritor e a sua bebida favorita…

  2. Ivone Costa diz:

    Eu não caso mais, que já casei muitas vezes. Mas, na linha Besson, acho a ideia de casar com uma cidade uma coisa interessante. Florença. Com um escritor morto, eu quereria Cortázar. E, Manuel, Os Sinais de Fogo também eu queria, mais que não fosse com a cena de abertura, a do Puigmal e da alma do gafanhoto. Ainda temos duelo.

  3. Panurgo diz:

    Eu casava-me com Buenos Aires e com a Viagem ao Fim da Noite. E com as mulheres de Buenos Aires.

  4. Henrique Monteiro diz:

    Eu, Manuel, sendo casado com uma mulher tenho uma dúvida: posso acumular e casar com um homem? Poderei casar com o Besson para não ir de férias com ele? São dúvidas destas que ocupam uma mente despretensiosa…

    • Manuel S. Fonseca diz:

      Henrique, o melhor é criarmos um manual com todas as regras. Chamem o Leote. Onde é que anda o nosso Diogo?
      Ah, e já agora, porque é que não queres ir de férias com o Besson, um tipo que sempre que ala, lá vai para Bagkok e Brazaville?
      Ah, pior ainda, o que é que andas a fazer a esta hora neste blog Triste?

  5. Uma mulher, parece-me, a falar do largo do Martim Moniz:

  6. Maria do Céu Brojo diz:

    Casar não digo. Agrada-me a ideia de partilhar horas divertidas com Pitigrilli. Como seria o homem por detrás dos livros? Louco varrido? Misantropo? Viajante intrépido nas experiências humanas?

  7. curioso (papinista) diz:

    nem a propósito

    …. I recently read a text by the 20th-century Italian writer Pitigrilli, who crammed his stories with erudite quotations — though often getting the names wrong — and with anecdotes that he found goodness knows where. At one point Pitigrilli invokes Saint Paul’s stern warning, “Melius nubere quam uri,” or, “Better to marry than burn with great desire” — good advice, incidentally, for Roman Catholic priests. Pitigrilli also observes that most of the greats, including Plato, Lucretius, Virgil and Horace, were bachelors. But that’s not entirely the case.
    …. Umberto Eco, NYT

    judeu, fascista, jornalista, sim. misantropo? nim.

    Tagliente, caustico, irriverente… e miserabile informatore dell’ Ovre fascista, che non ha esitato a denunciare amici e colleghi. RIP

    http://www.youtube.com/watch?v=F6ieQ3ZCoXg

  8. curioso (grilado) diz:

    @ Rita Roquette de Vasconcellos diz:
    Dezembro 1, 2012 ás 12:12
    Só o nome faz cóce­gas…

    Piti­grilli, Piti­grilli, Pitigrilli.

    -> está ex plicado: pit i grilli… os grilos pitam 😉 😉

Os comentários estão fechados.