Banksy

Sobre Rita Roquette de Vasconcellos

Apertava com molas da roupa, papel grosso ao quadro da bicicleta encarnada. Ouvia-se troc-troc-troc e imaginava-me a guiar uma mobylette a pedais enquanto as molas a passar nos aros não saltassem. Era feliz a subir às árvores, a brincar aos índios e cowboys e a ler os 5 e os 7 da Enid Blyton. Cresci a preferir desenhar a construir palavras porque... escrever é triste.
Esta entrada foi publicada em Post livre. ligação permanente.

12 respostas a Banksy

  1. GRocha diz:

    As coisas que eu aprendo com estes tristes 🙂 não sabia o que significava banksy, pelo desenho já calculava, mas claro que tive que pesquisar para ter a certeza que tinha interpretado bem o significado…. tinha sido bem melhor se tivessem atingido com flores, mas o problema é que este País há muito perdeu as “estribeiras” da formação e da educação…. e é o que se vê … fora os que vem por emprestimo 🙂 enfim….já não 25 de Abri”s” como o vosso… que eu só tinha dois anitos 😛

  2. curioso (exitante) diz:

    O que dirão os nossos mestres?

    Exit Through the Gift Shop: A Banksy Film é um dos mais fascinantes filmes sobre arte já realizados.

    Érico Borgo

    exit=sucesso/saída? 🙂

  3. entre a pedra e a flor

  4. nanovp diz:

    A revolta pelos olhos do artista…neste caso pelas “mãos” do artista…

  5. Como ando a postar sobre os anos 80, aqui estes de um tempo em que os boys também moviam paredes:

  6. Maria do Céu Brojo diz:

    Gosto francamente de alguma grafitagem. Pichação, abomino. Banksy é loiça outra.

Os comentários estão fechados.